Comentários de 2015

 

48º Encontro (27/08/2015)

 

Gato pra cá, Rato pra lá, texto de Sylvia Orthof, ilustrações de Graça Lima, ed. Rovelle. Uma pequena grande história que começa com a conhecida rivalidade entre um gato e um rato, e aos poucos vai revelando um texto com uma inspiração poética contendo uma grande carga de lirismo e afeto. A “lua gata prateada” desce a terra e inspira ao gato um sentimento nobre e misterioso. O instinto selvagem dá lugar ao afeto poético e a magia acontece: longe da ameaça do gato apaixonado pela lua, o rato triste se liberta de seu medo e voa para o mundo virando um morcego na calada noite. (Mercedes Fernandes)

 

 
Video-homenagem à Sylvia Orthof  (clique na imagem)
 Gato pra cá, Rato pra lá 
 
 
 
 
Mula sem cabeça e outras histórias. Texto de Sylvia Orthof. Ilustrações de Anna Terra. Ed. Rovelle. Estórias de arrepiar... As lendas inventadas pelo homem com elementos não tão verdadeiros são a base desse livro da Sylvia Orthof. A história da mula sem cabeça dá o tom e fala de uma mulher que mora nas proximidades de uma igreja e se apaixona pelo padre sendo castigada, por isso, com um corpo de mula e cabeça de fogo. Um livro repleto de histórias do folclore, tradições, mitos e lendas. (Neide Graça)
 
 
Vovó viaja e não sai de casa? Texto de Sylvia Orthof, ilustrações de Bebel Callage, ed. Rovelle. É possível viajar sem sair do lugar? Sim, na deliciosa fábula poética escrita por Sylvia Orthof, uma engraçada Vovó viaja pelo mundo todo usando a criatividade e a imaginação.  Com ilustrações inspiradas o texto da autora é um desafio a nós leitores para embarcarmos juntos na aventura turística de nossa carismática personagem. (Mercedes Fernandes)
 
 
O baile do fim do mundo e outras histórias. Texto de Sylvia Orthof Ilustrações de Marilia Pirillo. Ed Rovellle. Livro que reúne contos deliciosos sobre os sete pecados capitais, revisitados de forma irreverente e bem humorada pela autora. O primeiro fala de luxúria e dá nome ao livro. Alguns outros contos apresentam títulos de explícito bom humor e criatividade: O doce pecado (gula), Um tanto quanto... (orgulho), Nem toda ira é Justa (Ira), Unha de fome (avareza), Preguicite aguda (preguiça) e Seca pimenteira (inveja). (Neide Graça)

 

 

47º Encontro (30/07/2015)

  • O rei do espetáculo – Texto de Elias José. Ilustr Mariana Massarini. Ed. Paulinas. "Nesse mundo tão tecnológico em que vivemos pensar nas coisas simples tornou-se muito importante porque essas coisas simples ajudam e ainda se justificam no nosso dia a dia. O autor com sua poesia e a ilustradora com seu belo traço trazem para o centro da roda ele – o lápis – como o rei do espetáculo. E todos nós em algum momento da vida o colocou em posição de destaque. Seja para desenhar as primeiras letras ou para desenvolver alguma tese científica para beneficiar a humanidade. Muito bom esse encontro com a sua importância e utilidade!" (Neide Graça)
  • A gargalhada de alegria de Dona Ecologia – Texto de Jonas Ribeiro e ilustrações de André Neves, ed. Elementar. "Um texto simples que aborda o sentido da natureza e sua sustentabilidade no planeta. A Ecologia como um personagem evoca um ser que se preocupa, questiona a sociedade, com suas contradições e adversidades, tais como poluição, desequilíbrio e preservação da natureza. Uma história que explora o sentimento e pureza da infância e o legado para as gerações futuras que deveriam cuidar e cultivar o afeto e devoção pela Mãe Terra." (Mercedes Fernandes)
  • O mundo de cabeça pra baixo. Texto de Jonas Ribeiro.  Ilustr Cláudia Cascarelli. Ed. Cortez. "O tema que até parece um dos mais difíceis, a separação dos pais, é tratado por Jonas Ribeiro com delicadeza e pela ótica da criança, que usa sua imaginação para tentar entender a dor que sente. Há no texto um interessante diálogo da criança com a mãe sobre o assunto, além das lindas ilustrações de Cláudia Cascarelli." (Neide Graça)
  • A Rainha das cores – Texto e ilustrações de Jutta Bauer, ed. Cosac Naify. "As cores como metáfora da complexa existência humana. De forma simples, porém profunda, a autora e ilustradora nos conta em seu livro uma deliciosa historinha em que utiliza através de suas ilustrações, o significado e uso das cores e texto simples, um estímulo para desenvolver uma obra sobre sentimentos e emoções que perpassam nossas relações com as pessoas e o mundo. Para tal, abusa alegremente da riqueza dos traços e os matizes das cores." (Mercedes Fernandes)
 

46º Encontro (25/06/2015)

  • Vizinho, Vizinha. Texto de Roger Mello, Ilustr de Graça Lima, Mariana Massarani e Roger Mello. Ed. Cia. das Letrinhas.
"Livro muito interessante, ao utilizar uma narrativa simples e divertida sobre as dificuldades dos relacionamentos entre pessoas que convivem numa mesma grande cidade e não se conhecem. Através dos sentimentos de solidão, alegria e da diversidade de sentimentos e experiências, a ideia de escrever sobre “Vizinhos” sugere uma metáfora elaborada com incríveis ilustrações variadas de cenas cotidianas entre vizinhos de apartamento, ao criar através da composição do texto com imagens, uma sólida rede de afetos possíveis e imagináveis. Importante destacar a originalidade do projeto do livro que foi a ilustração realizada por três diferentes ilustradores: Graça Lima, Mariana Massarani e Roger Mello que além de ilustrar também escreveu a história." (Mercedes Fernandes)
 
  • A fada emburrada. Texto de Andrea Taubmann. Ilustr Romont Willy. Editora Elementar.
"Quem disse que fada só pode visitar criança? O texto de Alessanda Roscoe e as inspiradas ilustrações de Romont Willy funcionam como um convite irresistivel para todas as idades. O tema mau humor percorre a história e nos remete a muitas situações vividas. Vale até repensar o que isso pode representar para o convívio diário. Ser emburrado não é fácil para quem está nas redondezas..." (Neide Graça)
 
 
 

45º Encontro (28/05/2015)

  • Onda - ilustrado por Suzy Lee. Ed. Cosac Naify

VÍDEO

"Um livro diferente que traz ao público leitor uma narrativa imagética impactante realizada pela ilustradora Suzy Lee, sobre um encontro de uma garotinha com o mar e seus encantos naturais. As imagens descrevem cenas de uma história em cenas detalhadas da menina alegre e curiosa sem precisar de um texto escrito. Uma história que dá margem a crianças de todas as idades a entender e interpretar através das imagens mostradas, a sua própria história."  (Mercedes Fernandes)

 
  • Em nome da mãe, em nome do Pai. texto de Kalunga e ilustrações de Rosana Urbes. Ed. Paulinas.

"Um livro de poemas para crianças, jovens e adultos inspirados nos delicados sentimentos da infância, narrando de forma simples o forte vínculo materno e paterno entre pais e filhos. O autor descreve através de uma narrativa poética, os diversos padrões familiares, como a importância de se estabelecer relações integradas entre pais e filhos, firmando os valores ético e sociais de convivência ao tecer relações de amor, respeito, alegrias, e descompassos que vão detalhar a importância do universo familiar no universo das crianças." (Mercedes Fernandes)

 
  • Sonho de mãe. Texto de Andrea Taubmann, ilustr Sandra Ronca. Editora Jovem.

"Esse livro tanto pode ser para uma mãe de primeira viagem como para uma criança, ambos podem viajar nas nuances da ilustrações e do texto que traduzem, e muito bem, a delicadeza digna do tema. Versos delicados aliados a ilustrações inspiradas levam os leitores ao mundo, mágico, misterioso e sonhador das mães". (Neide Graça)  

 
 

44º Encontro (30/04/2015)

  • Azulzim - escrito e ilustrado por Luiza Leite e Tatiana Podlubny, ed 7 Letras.

VÍDEO

“Este livro faz parte de uma coleção chamada Fada Inflada, que vem a ser uma dupla de criação de livros em que texto e imagem formam uma unidade inseparável, como os casadinhos de doce de leite. A idade dos nossos leitores? Isso não importa tanto! Livros como Azulzim combinam com pessoas que olham para o céu, sonham com o mar, apreciam o aroma da tangerina e gostam de cantar no chuveiro.” (www.afadainflada.blogspot.com). 

LIVRO “É interessante mostrar o texto das autoras, pois nele está uma ótima apresentação para uma ideia original de uma história. As autoras trabalham com um conceito de livro imagem com pequenas frases poéticas. Azulzim é uma experiência sensorial de graça e sensibilidade para público de todas as idades.” (Mercedes Fernandes)

 

  • A cobra e o sábio (Ieda de Oliveira) Ilustr Ivan Zigg. Editora Larousse Junior. Uma deliciosa história de Marluce, a cobra que não se conforma em ser cobra e sonha em ser um animal de estimação. Só que ela é muita ansiosa e não interpreta corretamente os conselhos do sábio. Muito humor e uma ilustração primorosa é garantia de um crescente interesse. (Neide Graça)
 
  • Flicts – escrito e ilustrado por Ziraldo, ed, Melhoramentos. Este livro muito interessante e colorido conta a história de Flicts, uma cor rejeitada por todas as outras cores que existiam no Planeta. Ela tentava, mas não conseguia se encaixar entre as cores primárias, do arco íris, cores fortes e pálidas. Ficou tão infeliz ao tentar a duras penas se ajustar e tentar encontrar seu lugar junto às outras cores, que resolveu sumir desse mundo e alçar novos voos. E foi justamente lá fora da Terra que finalmente encontrou o seu lugar na imensidão do universo, mas não muito longe de seu planeta querido. Lá um sentido guardava o segredo de sua existência, sua iluminação própria que refletia sua cor na Terra através da Lua, um segredo que os astronautas sabiam, pois alcançaram Flicts. “A Lua é Flicts” (Neil Armstrong, astronauta da Apolo 11). (Mercedes Fernandes)
 
  • Olivia e o grande segredo (Tor Freeman) Ed. Brinque-Book. Segredo é tema de interesse geral. Mudam os persoagens mas o ingrediente é sempre o mesmo: a curiosidade. Os animais, convenientemente, tem nomes humanos e isso traz grande veracidade e identifcação com as situação apresentada. As ilustrações são inspiradas e a finalização da história supreendente.  (Neide Graça)
 
 

43º Encontro (26/03/2015)

  • Aguardados. Ayssa. Editora Paulinas. “Um lindo livro de poemas visuais onde as palavras e seus sentidos dialogam o tempo todo com o leitor, através dos seus vários formatos. Os temas são variados e as imagens complementam um texto inspirado e reflexivo. É poesia provocativa e cheia de sensibilidade que nos prende e encanta. Demonstra como a Ayssa afirma que: “não há nada maior na vida do que as pequenas coisas da vida”. Aguardados é uma bela reunião dessas pequenas coisas da vida.” (Neide Graça
  • O Abraço do Antônio – Luciana Rigueira, ed. Paulinas. “Um livro simples que conta a delicada história de uma mãe que busca e um menino que encontra. O que? O afeto. Sim, um afeto plenamente possível e desejável. A autora consegue tocar no tema da adoção de forma direta e sensível, fazendo uso de expressivas ilustrações, e algumas edições com o texto em braile”.(Mercedes Fernandes)
  • Quanto segredo! Celso  Sisto Ilustr Bruna Assis Brasil. Editora Paulinas. “As duas histórias ”A caixa de segredos” e “Roda de família” são poemas onde o autor explora os temas mistérios e segredos. Perfeito para nos levar/revelar o que vivemos. Em ambas as histórias vemos/revivemos fatos familiares da nossa infância. As situações são familiares igualmente para crianças e adultos. O formato grande do livro realça as ilustrações que costuram as duas histórias com detalhes reveladores e de muito humor.” (Neide Graça)
  • O homem que amava caixas – Texto e ilustrações de Stephen Michael King, ed Brinque book. “Relações humanas são muitas vezes complexas no entendimento e manifestação. Essa história conjuga ilustração e texto de um mesmo autor que nos conta a história de um relacionamento especial entre pai e filho através de confecção de caixas. Pequenas e enormes caixas, de todas as cores e dimensões são a linguagem perfeita para pai e filhos se relacionarem livremente buscando uma forma particular de compartilhar segredos, aventuras e afeto.” (Mercedes Fernandes)

 

42º Encontro (02/02/2015)

 
Dona Dolores. Heinz Janish. Ilustr Helga Bansch. Editora Brinque-Book. Dona Dolores, uma menina de 91 anos, compartilha com um menino seu mundo de curiosidade, paciência, bons ouvidos e habilidade com as mãos. O que mais pode querer o menino, que entende como ninguém esse mundo dela? Aliás, a visão da história é a dele, menino só na idade, que enxerga a vida com o mesmo olhar mágico de Dona Dolores. Uma linda história que compartilha a imaginação de ontem e hoje, com ilustrações inspiradas e fala com doçura de temas universais: solidariedade, infância e velhice.” (Neide Graça)
 
É difícil se apressar quando se é um caracol – Texto de Dorothy M. Stewart, ilustrações de Thomas Taylor, ed. Brinque-Book.  É difícil aceitar certos desafios quando o mundo se revela competitivo e perigoso. É o que destaca a história de nosso personagem caracol, ao se ver na situação de enfrentamento com diversos animais das mais variadas raças e tamanhos. Todos atravessam seu caminho, fazendo provocações,  ameaças e depois simplesmente o ignoram. A moral da história é reveladora: não importa o destino final de todos os seres,  todos terão a mesma chance e o mesmo fim. E não importa também a sua condição de raça, dimensão, pois segundo Noé toda criatura é especial, todas as raças são iguais perante o universo, do mais rápido coelho ao mais vagaroso caracol. Todos são importantes e têm uma importante função neste mundo!” (Mercedes Fernandes)
 
Coisas importantes – Texto e ilustrações de Peter Carnavas. Ed. FTD. Uma história bem real contada de forma sensível sobre sentimentos de perda e como ele se manifesta de forma distinta em cada um de nós: na história a mãe deseja esquecer as lembranças do marido ausente e o filho deseja reviver a presença do pai do qual pouco se lembra. É a verdadeira falta que nos move mundo afora e que de certo modo se conforma através da linguagem do verdadeiro afeto, aquele que respeita o outro em suas escolhas.” (Mercedes Fernandes)
 
Coisa de irmão. Luciana Rigueira. Ilustr. Elisabeth Teixeira. Editora Paulinas "Ciúme é um tema recorrente na literatura porque dá liga, apresenta o conflito. É uma combinação de vários sentimentos. Ciúme rima com expectativas, comparações, frustações e poder. É o sentimento de posse nublando a realidade. “Coisa de irmão” apresenta embate bastante interessante de amor e ciúme e da busca pelo afeto do outro. É apresentado, numa situação bastante comum na rotina familiar, de forma poética, acompanhado de ilustrações tão singelas quanto representativas da relação entre irmãos. Para o leitor-criança uma possível identificação, para o leitor-adulto a lembrança de situação experimentada. Vale para ambas as idades..." (Neide Graça)