"Desafios da Escrita" 

 

 
JAÍRA RUAS
 
Professora de Português e Literatura e revisora estilística.
 

 

  

Alô papai!

Alice Horn - Ilustr. Joelle Tourlonias (Ed. FTD)

        

 

 
 
 
 
Texto simples na forma e no motivo que impulsiona a narrativa: um filho que adora o pai e conversa com ele pelo telefone.
 
 
 
Surge a complexidade na contradição criada pela mudança que ocorre entre os personagens em seus estados intelectuais e emocionais.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os diálogos sucedem-se numa ação linguageira, onde o amor e a imaginação surpreendem a cada momento.

      “ - Papai quando você vier para casa, você me traz um presente?

      - Claro que sim. Vou levar um trator! Só que com asas.

     - Um trator com asas?

Mas, papai, trator não tem asas. Só avião tem.”

 
 
 
 
 
 
 
 
 

De presente a presente, “barco com rodas”, “cachorro com chifres”, os personagens vão expondo fatos reais e irreais. O filho coerente com a realidade e o pai sendo agente de um incrível combustível imaginário.

     “ - Posso levar um bode de óculos?

     - Ai, pai? Bode de óculos? Só gente usa óculos.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
- Bem, então, vou levar uma pessoa! 
 
Eu mesmo, o seu próprio pai, de presente para você. 
 
Surpresa! Olha quem chegou. 
 
E abraçaram-se fortemente!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
     Todo esse diálogo é misturado com uma ilustração fiel ao texto, que conduz através dessa linguagem não verbal  o desenrolar do diálogo até o seu desfecho: 
o encontro do pai com o filho.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Curiosidade final: A autora do texto (Alice Horn) nasceu em 1922 e a ilustradora (Joelle Tourlonias) em 1985. É, verdadeiramente, um livro para todas as idades.
 
 
 
 
set/2015