livros do blog (pelo nome do autor)

 

Alcy Linares

Pinote, o Fracote e Janjão, o Fortão (Fernanda Lopes de Almeida e Alcy Linares). Ilustr. Alcy Linares. Ed. Ática. "A força do pensamento e da sensatez pode driblar o poder da ignorância. Relações de afetos e amizades devem ser conquistadas e não impostas pela força. Nesse embate entre dois poderes tão diferentes Pinote ensina uma lição pra Janjão, amizade é cumplicidade e não imposição". (Mercedes Fernandes)

 

 

Alessandra Pontes Roscoe

Caixinha de guardar tempo (Alessandra Pontes Roscoe) Ilustr Alexandre Rampazo. Ed. Gaivota. "Uma reflexão onírica sobre as lembranças que guardamos em nossa memória mais profunda, em uma caixa cheia de vida e poesia. As belezas dos traços e das figuras ilustram a atmosfera mágica do tema, mesclando o sonho e a fantasia do tempo." (Mercedes Fernandes)

 

A fada emburrada. Texto de Alessandra Roscoe. Ilustr Romont Willy. Editora Elementar. "Quem disse que fada só pode visitar criança? O texto de Alessanda Roscoe e as inspiradas ilustrações de Romont Willy funcionam como um convite irresistivel para todas as idades. O tema mau humor percorre a história e nos remete a muitas situações vividas. Vale até repensar o que isso pode representar para o convívio diário. Ser emburrado não é fácil para quem está nas redondezas... As crianças brincaram de virar fada e os idosos relembraram o mau humor do dia a dia, nas suas vidas. Em comum a forma bem humorada de ambos tratarem o tema tão bem colocado no texto e nas ilustrações" (Neide Graça)

 

 

Alexandre de Castro Gomes

Aniversário no Cemitério – Texto de Alexandre de Castro Gomes e Ilustrações de Cris Alhadeff, ed. Zit. "Este livro é uma viagem! Uma história muito inusitada e bem animada de um aniversário que aconteceu dentro de um Cemitério. Como convidados aparecem mortos vivos, os simplesmente mortos, bruxas, vampiros e muito mais e a festa foi demais. O nome do aniversariante era Rogério. Fala sério! Uma história divertida e muito bem ilustrada para crianças de todas as idades." (Mercedes Fernandes)

 

Ana Cristina Melo

Sete cartas de outro planeta – texto de Ana Cristina Melo, ilustrações Patrícia Melo, ed. Bambolê. "A imaginação de uma menina esperta pode ser o estopim para espantar o tédio e chamar a atenção de sua família, assim é o tema de “Sete cartas de outro planeta”. Uma avalanche de cartas e respostas de um “ET” movimenta a vida da menina que desta forma se conecta com sua família e com si mesma. Com lindas ilustrações esta história nos convida a entrar no mundo imaginário da menina e torcer por um desfecho feliz para toda a família da menina e também para o “ET”, é claro! (Mercedes Fernandes)

 

Dandi e a árvore palavreira. Texto de Ana Cristina Melo, ilustrações de Patrícia Melo, ed. Bambolê. "Uma obra muito interessante que utiliza o universo familiar como rito de passagem para o conhecimento e descobertas das histórias da vida e do mundo através  de uma criança curiosa e seu avô. O legado  de conhecimento e experiência do avô Chico para com seu neto Dandi é aqui revelada através de mitos e lendas folclóricas de nosso país utilizando as bases mais sensíveis da memória descritas através da narrativa oral e escrita. Nesta história a lenda mostra sua verdade ao dignificar a experiência humana e a sabedoria de gerações na representação de uma árvore, a “árvore palavreira” que gera estranhos “frutos” melhor dizendo “pequenos papéis enrolados”, ou seja, as palavras germinadas como frutos do conhecimento baseadas na solidez das crenças e do afeto. A autora e a ilustradora costuram lindamente a representação desta história, profunda e fértil como as palavras e a imaginação.(Mercedes Fernandes)

 
 

Ana Maria Machado

 

O menino que espiava pra dentro (Ana Maria Machado) Ilustr. Alê Abreu. Ed.Global.Espiar para dentro é a metáfora perfeita que a autora utiliza para mostrar que devemos ter a imaginação desperta. O olhar pra dentro é um exercício de autoconhecimento e da tentativa de criar um mundo melhor. O livro traz construções poéticas que estão dentro do imaginário de crianças e adultos. Olhando pra dentro exercitamos a mente criativa e experimentamos uma liberdade e aventuras interiores. "(...) viu tantos lugares, nadou tantos mares, voou pelos ares. Viu cavalos e castelos, viu bosques de caramelos, viu piratas e palhaços, viu vaqueiros e laços, viu automóveis-leões, viu parques de diversões, viu carrossel de dragões." Uma viagem! (Mercedes Fernandes)

 

Quem perde, ganha (Ana Maria Machado) Ilustr. Claudius. Ed. Nova Fronteira. "Neste pequeno grande livro, acompanhamos quatro histórias que falam de nossos sentimentos humanos de forma poética: a relação de dois trenzinhos, um espantalho solitário, uma menina que vivia perdendo e um boto apaixonado. Em todas as histórias acontecem momentos de perdas, mudanças e encantamentos e principalmente a ideia de que tudo pode mudar, se transformar para adquirirmos novos ganhos." (Mercedes Fernandes)

 

 

Alguns medos e seus segredos (Ana Maria Machado). Ilustr. Eliardo França. Ed. Nova Fronteira. "Nesse livro com três histórias nada banais a autora mostra que medo é coisa de gente, seja adulto ou criança e também de que todos nós mantemos nossos maiores segredos guardados, e entre eles é o ter medo. Através dessas narrativas a autora retrata o medo de forma humana e divertida, que vai desde o medo de uma pequena lagartixa, a do velho lobo mau e ao do mítico bicho papão, todos residentes no nosso imaginário mais profundo". (Mercedes Fernandes)

 

 

André Neves

Maroca & Deolindo e outros personagens em Festas, texto e ilustração de André Neves, edições Paulinas. O autor e ilustrador narra em seu livro várias histórias tendo como pano de fundo grandes festas do folclore festivo nacional. Ao revelar tradições e costumes de várias regiões brasileiras o autor costura poesias em prosas originais e belíssimas ilustrações, como é o caso do título da história do Livro Maroca & Deolindo, em que conta a história de um casal improvável que com uma ajudinha da população local acaba se aproximando e transformando a Festa de S. João numa grande sagração de amor e felicidade. “Festa gostosa de ver”! (Mercedes Fernandes)

 

Menino Chuva na Rua do Sol – Texto e ilustrações de André Neves, ed. Paulinas. "Uma linda obra poética que nos revela lembranças da infância do autor. É prazeroso viajar com a imaginação do “menino chuva” para além da fantasia em companhia dos fenômenos naturais que compõem momentos de tempestades, nuvens pesadas, chuva torrencial, pingos de água e finalmente a mansidão luminosa do sol em sequencias de aventuras, prazer e muita imaginação onde os sentimentos do menino ganham expressão. Como sempre o autor nos presenteia com lindas ilustrações que sempre nos faz viajar para dentro de suas histórias." (Mercedes Fernandes)

 

Sebastiana e Severina – Textos e Ilustrações de André Neves. DCL Editora. "Uma bela obra do ilustrador e autor André Neves que mais uma vez nos contempla com o universo de tradições culturais nordestinas em que uma trágica e poética história de amizade entre duas amigas e sonhadoras rendeiras nordestinas nos envolve em sonhos, mitos e disputas de afeto entre cenários de natureza forte e vibrante do sertão. As ilustrações costuram traços de rendas, e peças coloridas para saudações da festa típica de São Sebastião na cidadezinha de Umbuzeiro e nos carregam para dentro da trama revelando um desfecho tão inusitado quanto belo em sua essência." (Mercedes Fernandes)

 

Tombolo do Lombo – Ilustrações e Texto de André Neves, ed. Paulinas. "Nesta obra lindamente ilustrada, o autor e ilustrador André Neves nos leva para a tradição das canções populares mais conhecidas como Parlendas que são narrativas com estrutura cumulativa decrescente descrita em rimas simples e de fácil compreensão. Nesta história o autor se inspira na tradição do “Bumba meu Boi” para explorar de forma criativa a costura original entre texto e ilustração, um convite à brincadeira."

Segue um link do André Neves sobre este livro:

https://www.youtube.com/watch?v=BhfNxAXN7jA

(Mercedes Fernandes)

 

 

Andrea Taubmann

Sonho de mãe. Texto de Andrea Taubmann, ilustr Sandra Ronca. Editora Jovem. "Esse livro tanto pode ser para uma mãe de primeira viagem como para uma criança, ambos podem viajar nas nuances das ilustrações e do texto que traduzem, e muito bem, a delicadeza digna do tema. Versos delicados aliados a ilustrações inspiradas levam os leitores ao mundo, mágico, misterioso e sonhador das mães". (Neide Graça) 

 

Angela Leite de Souza

Borbofante (Angela Leite de Souza. Ilustr Odilon Moraes. Ed. Paulinas. "Na linguagem de fábula esta história improvável da amizade entre duas borboletas extrovertidas e um elefante tímido e sensível evidencia a fantasia da vida comum que de repente se modifica através de uma catástrofe física. Em uma realidade metafísica onde a ideia de morte evidencia a amizade entre personagens tão diferentes na natureza, tudo é plausível, até um elefante criar asas e voar até a possibilidade de todos se reencontrarem e juntos compartilhar uma nova existência. As ilustrações são claramente fundamentais na condução da história, há um diálogo fundamental entre texto e imagem tornando a história muito interessante de conquistar a atenção de leitores de todas as idades." (Mercedes Fernandes)

 

 

Ayssa

Aguardados. Ayssa. Editora Paulinas. “Um lindo livro de poemas visuais onde as palavras e seus sentidos dialogam o tempo todo com o leitor, através dos seus vários formatos. Os temas são variados e as imagens complementam um texto inspirado e reflexivo. É poesia provocativa e cheia de sensibilidade que nos prende e encanta. Demonstra como a Ayssa afirma que: “não há nada maior na vida do que as pequenas coisas da vida”. Aguardados é uma bela reunião dessas pequenas coisas da vida.” (Neide Graça

 

Bartolomeu Campos de Queirós

 

A Árvore – Texto de Bartolomeu Campos de Queirós, ilustrações de Mário Cafiero, ed.  Paulinas. A Árvore” de Bartolomeu é a metáfora da Árvore da vida, na essência da poesia, em que ele descreve os sentimentos que compõem um ser vivo em sua completude: fornece calor e proteção, alimenta e protege pássaros, atrai insetos e predadores, germina frutos e flores, acolhe borboletas e atrai os amores, com suas copas frondosas, que dá sombra e que provoca a imaginação de todos os elementos vivos da natureza. A árvore é amiga e professora e pertence ao poeta, que busca enriquecer nossos leitores ouvintes com suas pausas e reflexões poéticas, com suas histórias que também são nossas, e por nos revelar os mistérios e os detalhes que nos passam despercebidos pela rapidez da vida que passa.(Mercedes Fernandes)

 

Elefante – Texto de Bartolomeu Campos de Queiróz, ilustrações de Bruno Novelli (9LI), ed. Cosac Naify.Elefante” foi reconhecidamente a última obra entregue em vida por Bartolomeu a uma editora. Uma história poética e sensível que emerge através da linguagem do inconsciente, em que um pequeno elefante surge e vai tomando conta de tudo na vida de um indivíduo enquanto ele dorme e sonha. O elefantinho invade o sonho dele sem pedir licença, parecendo estar em busca do eterno afeto e diversidade de sentidos, tudo descrito em linguagem simbólica em ambiente onírico valorizado pela linguagem da ilustração com traços singulares de linhas que se perdem no espaço. O pequeno ser sabia “que o futuro é só matéria de fantasia”, e como saber quem de fato estava sonhando? Um convite inesperado de compartilhamento de um devaneio com abertura a algumas reflexões sobre vida, morte, amizade, confiança, e principalmente o que poderá ocorrer quando tivermos que acordar de nossos sonhos." (Mercedes Fernandes)

 

Formiga amiga – Texto de Bartolomeu Campos de Queirós, ilustrações de Elisabeth Teixeira, ed. Moderna. "Uma obra interessante de Bartolomeu para um público mais iniciante na aventura de ler e apreciar uma história. Açúcar e afeto bordam esta linda narrativa conduzida dialeticamente pelo mundo de uma simpática formiga “Dulce” e suas companheiras, observada curiosamente pelo olhar curioso de um menino que se torna amigo e narrador desta aventura." (Mercedes Fernandes)

 

Onde tem bruxa tem fada (Bartolomeu Campos de Queirós) Ilustr Suppa. Ed. Moderna."Uma crítica poética em forma de história de bruxas e fadas sobre a perda das crenças e intuições internas do homem cada vez mais engessado numa busca incansável por padrões materialistas e consumistas." (Mercedes Fernandes)

 

 

Bia Bedran

A menina do anel (Bia Bedran) Ilustr Simone Matias, Ed. Nova Fronteira. "Uma história cativante e poética sobre perdas e ganhos na vida de uma menina muito especial, que perde um anel na praia, mas encontra uma concha que lhe revela os segredos do mar, mistérios e revelações sobre emoções, afetos e saudades. A menina cresce e reafirma suas buscas e valores da vida, numa estrada eterna entre o céu e o mar. Vale ressaltar as belas ilustrações de Simone Matias mesclando a bela métrica da autora:"A maré enche e vaza, deixa a praia descoberta. Vai-se um amor, porém vem outro, nunca vi coisa tão certa." (Mercedes Fernandes)

 

O Caraminguá – Texto de Bia Bedran e ilustrações de Simone Matias, ed. Nova Fronteira. "Uma história interessante de um menino esperto e curioso que cismou ao ouvir a palavra ‘Caraminguá’, que ela poderia significar algum objeto de valor que pudesse ajudar a vida dos pais e da comunidade de roda do samba onde ele nasceu e conheceu o mundo da música e da melodia ao seu redor. Uma narrativa empolgante tendo o mundo da música como pano de fundo e grande oportunidade de se ter acesso a uma boa pesquisa musical sobre gêneros da música popular brasileira, como Samba, Chorinho e de quebra o “Samba do Caraminguá”. (Mercedes Fernandes)

 

Deus (Bia Bedran) Ilustr Thais Linhares. Ed. Nova Fronteira. “Um livro que trata com muita delicadeza os assuntos da Terra e do Céu. Traz através das dúvidas, observações e sentimentos da criança a questão da onipresença. A ilustração de Thais Linhares conversa e complementa o texto de Bia, com alegria e humor, atraindo os olhos do leitor para os pequenos detalhes. Uma experiência pessoal que vale relatar é o trabalho do texto com crianças e idosos, dois públicos aparentemente tão distintos, mas que demonstram, respeitadas suas necessidades, igual  interesse no conteúdo.” (Neide Graça)

 

Eu e o tempo (Bia Bedran) Ilustr Thais Linhares. Ed Nova Fronteira. "O tempo e seus mistérios e os mistérios da menina que contabiliza seu tempo cercada de dúvidas, situações e impaciência. O tempo passa de forma diferente para cada pessoa, construa a matemática do seu tempo do seu jeito, à seu favor." (Neide Graça)

 

Fazer um bem – Texto de Bia Bedran, ilustrações de Sandra Ronca, ed. Nova Fronteira. "O texto parece uma oração poética em cadência musical. As palavras soam como versos em busca de uma música para universalizar cores e sentimentos nos mostrando como pode ser agradável a sensação de se fazer o bem. E ao final surge a partitura musical para soar de forma mais significativa como é bom sonhar e viver com boas intenções." (Mercedes Fernandes)

 

 

O Mundo dos Livros. Texto de Bia Bedran e ilustrações de Alexandre Rampazo, ed. Nova Fronteira. "Livro muito inspirado sobre a criação e a importância do mundo dos livros. Sem ser muito didático é um livro que utiliza uma linguagem dinâmica amparada numa boa pesquisa sobre a natureza criativa do livro objeto e a importância das palavras e a divulgação do conhecimento com suas diversas possibilidades que são o mundo das ideias, aprendizados diversos, entretenimento e a capacidade de desenvolvimento da imaginação. O livro traz claras referências a obras literárias e tem uma maravilhosa ilustração que enriquece a história dando destaque para a personagem menina que conduz a narrativa da história." (Mercedes Fernandes)

 

 

O pescador, o anel e o rei (Bia Bedran) Ilustr Denise Rochael. Ed. Lê. "Adaptação de um conto popular na versão encantadora de Bia Bedran. A autora nos reconta uma história de fé e fidelidade aos valores mais profundos de um cidadão simples e feliz que tinha a riqueza na alma e de um pobre rei que vivia se comparando com Deus, tudo com cadência e sonoridade musical. As ilustrações de Denise Rochael enriquecem a aventura que evoca em um imaginário de conto de fadas, a vontade de ouvir histórias". (Mercedes Fernandes)

 

O Sapateiro e os Anõezinhos (Bia Bedran) Ilustr Thais Linhares. Ed. Nova Fronteira. "A vida nos surpreende por afetos inesperados, às vezes de onde menos se espera é que encontramos uma ajuda sincera e verdadeira. Bia reconta uma história dos irmãos Grimm, coletada na Alemanha, no início do século XIX, de forma encantadora, com muita sonoridade poética e ilustrações expressivas de Thais Linhares". (Mercedes Fernandes)

 

Uma história sem fim (Bia Bedran) Ilustr Thais Linhares. Ed Nova Fronteira. "A palavra tem poderes, tem muitos afazeres. A palavra é bela"... "E temos aqui o encanto da narrativa de Bia reforçando a tradição oral, nessa e em todas as suas histórias sem fim". (Neide Graça

 

O palhaço Biduim (Bia Bedran) Ilustr Cristina Biazetto. Ed. Nova Fronteira. "A riqueza desse livro é a mensagem profunda de que mesmo que a vida nos coloque frente a frente com sentimentos duvidosos e conflitantes, poderemos preservar nossa essência principal que trazemos dentro de nós. E como diz a autora o alcance da felicidade pode ser um caminho de sentimentos simples que nem sempre a fama e o dinheiro nos faz alcançar." (Mercedes Fernandes)

 

 

Carla Davidman

O menino que perdeu as palavras (Carla Dawidman) Ilustr. Vitor Costa. Ed. Ao Livro Técnico. "Os pais de Gui viviam brigando e como ele não tinha coragem de pedir para os pais pararem com as brigas foi guardando as palavras. Guardou tanto que um dia elas passaram a não sair mais da sua garganta. E Gui passou a ter que lidar com seu silêncio, seus pensamentos e com a falta das palavras. E ele aprendeu a enxergar o mundo com os olhos do coração. (Neide Graça)

 

Cecília Meireles

Ou isto ou aquilo & inéditos (Cecilia Meireles) Ilustr. Rosa Frisoni. Ed.Melhoramentos. "É um livro belíssimo composto por poesias que evocam os diversos sentimentos, sonhos e fantasias da infância. Os poemas revelam com leveza e lirismo o mundo dos animais, das plantas, do aconchego familiar encantando até o dia de hoje crianças e adultos." (Mercedes Fernandes)

 

Celso Sisto

Beijo de Sol. Texto de Celso Sisto e Ilustrações de Suppa, ed. Nova Fronteira. "Uma linda obra singular que passeia com o olhar de uma criança pelo mundo da imaginação da infância, desconstruindo a natureza, castelos, dragões e criando sonhos de uma menina através de uma rica criatividade e lirismo que só a construção poética pode descrever. A menina Cecília é uma homenagem a grande escritora Cecília Meireles que inspirou esta aventura colorida mesclada e valorizada com as lindas ilustrações de Suppa." (Mercedes Fernandes)

 

Quanto segredo! Celso  Sisto Ilustr Bruna Assis Brasil. Editora Paulinas. “As duas histórias ”A caixa de segredos” e “Roda de família” são poemas onde o autor explora os temas mistérios e segredos. Perfeito para nos levar/revelar o que vivemos. Em ambas as histórias vemos/revivemos fatos familiares da nossa infância. As situações são familiares igualmente para crianças e adultos. O formato grande do livro realça as ilustrações que costuram as duas histórias com detalhes reveladores e de muito humor.” (Neide Graça

 

Rosalva mãos de fada. Celso Sisto Ilustr André Neves. Ed. Paulinas. Rosalva é uma bordadeira que se inspira nas marcas deixadas pelo mar na areia. As moças bordadeiras como ela, sempre bordam a vida sonhada e Rosava borda as suas esperanças de se casar. Quando encontra o pretendente o inicia nas artes das rendas e bordados. Mas ele é caixeiro viajante e uma viagem misteriosa o leva para muito longe. Como a “confiança se tece” ela mantém a esperança da sua volta bordando seu enxoval acompanhado pelas amigas bordadeiras, que lhe faz companhia na expectativa da volta do amado. Mas o pretendente não volta e a amargura substitui o amor no coração de Rosalva. É a destruição da esperança, do amor e do enxoval que se desfaz nas águas do mar, sendo ele próprio uma marca criada nas areias pelo mar, objeto de inspiração da bordadeira. O texto de Celso Sisto é de uma grande beleza poética e nos envolve a participar e torcer pelo destino de Rosalva.” (Neide Graça) 

 

Chico Buarque

Chapeuzinho Amarelo (Chico Buarque) Ilustr. Ziraldo. Ed. José Olympio. "Deliciosa história sobre o medo do medo, com uma chapeuzinho amarelada de medo". (Neide Graça)

 

Christian David

A menina que sonhava com os pés (Christian David) Ilustr. Martina Peluso. Ed. Gaivota."Ana é uma menina que tem muitos sapatinhos e um jeito muito especial de sonhar. Ela colore sua vida e imaginação com seus sapatinhos de muitas cores. Acontece para ela, um dia, uma nova experiência acompanhada de um presente: a ida à escola e um sapato preto. No início foi meio assustador, mas com delicadeza, ela logo encontra um jeito de colorir a situação. E como sonhar não tem mesmo idade vivemos vida a fora tratando de colorir nossos problemas e descobertas". (Neide Graça)

 

 

Clarice Lispector

A vida íntima de Laura (Clarice Lispector) Ilustr. Flor Opazo. Ed. Rocco. "É um livro interessantíssimo que revela a sensibilidade da autora dentro de um contexto infantojuvenil de nos contar a história de uma personagem tão desinteressante quanto especial. A vida de uma galinha pode ser mais complexa do que se pode imaginar, e a vida dela pode nos trazer revelações mais interessantes do que apenas colocar ovos, cacarejar ou virar comida no jantar. Vale a pena conhecer a história de Laura pelas palavras de Clarice Lispector". (Mercedes Fernandes)

 

Colin Thompson

Às vezes o amor está onde menos se espera (Texto e ilustr. Colin Thompson) Ed. Brinque Book. "O afeto mais sincero pode sim, vir de alguém especial como um cãozinho simpático e amoroso. Quando o nosso corpo adoece, a emoção pode capturar o verdadeiro amor incondicional, e é justamente o que acontece entre Kevin, o cão e Bruno seu dono. Nessa bela história de amor e carinho, as ilustrações dão uma expressividade significativa que nos captura para a história." (Mercedes Fernandes)

 

 

Christine Danenier

Divina Albertina de Christine Danenier, Brinque-Book“A autora escreve e ilustra em Divina Albertina uma história com muito senso de humor sobre pequenos artifícios que usamos para agradar ou impressionar alguém sem nos darmos conta de que a melhor verdade é buscarmos ser o que somos. Às vezes essa descoberta é demorada, como a de Albertina que dá ênfase ao jogo de aparências na conquista de seu amado ao invés de mirar na essência de seus sentimentos. Felizmente no final ela se dá conta dos exageros e tudo acaba em festa.” (Mercedes Fernandes)

 

 

Daniel Munduruku

 

O Homem que Roubava Horas.  Daniel Munduruku Ilustração de Janaína Tokitaka, Ed. Brinque-Book. “Essa incrível história nos leva a refletir sobre o valor do tempo e das horas que gastamos ou aproveitamos no dia a dia. Um tema que nos faz pensar sobre o tempo e o espaço verdadeiro que carregamos dentro de nós e que eventualmente desperdiçamos no ar, sem pensarmos sobre seu real valor. Um personagem sem história, de forma atemporal desafia aos outros a roubar suas horas em atenção ao uso essencial do tempo: “Quem tem hora não tem tempo: tempo de olhar o tempo.” (Mercedes Fernandes)

 

Dora Emmenrich

Menino de rua (Dora Emmerich) Ilustr. Guazelli. Ed. Paulinas. "Poema belíssimo sobre a exclusão social na infância escrito pela escritora Dora Emmerich somado ao extraordinário e impactante poema visual e artístico do ilustrador Guazzelli. Uma pequena jóia da literatura para todas as idades". (Mercedes Fernandes

 

Dorothy M. Stewart

É difícil se apressar quando se é um caracol – Texto de Dorothy M. Stewart, ilustrações de Thomas Taylor, ed. Brinque-Book.  É difícil aceitar certos desafios quando o mundo se revela competitivo e perigoso. É o que destaca a história de nosso personagem caracol, ao se ver na situação de enfrentamento com diversos animais das mais variadas raças e tamanhos. Todos atravessam seu caminho, fazendo provocações,  ameaças e depois simplesmente o ignoram. A moral da história é reveladora: não importa o destino final de todos os seres,  todos terão a mesma chance e o mesmo fim. E não importa também a sua condição de raça, dimensão, pois segundo Noé toda criatura é especial, todas as raças são iguais perante o universo, do mais rápido coelho ao mais vagaroso caracol. Todos são importantes e têm uma importante função neste mundo!” (Mercedes Fernandes

 

Edmilson de Almeida Pereira

O menino de caracóis na cabeça (Edmilson de Almeida Pereira) ilustrado pr Lelis - edições Paulinas. ...é a trajetória de uma vida em busca do conhecimento de si mesmo, através do desvendar de um sonho. No decorrer da estrada os enigmas se sucedem, o menino se transfoma em homem e as respostas vão se formando e transformando em sua própria história.” (Neide Graça) 

 

 

Elias José

O rei do espetáculo – Texto de Elias José. Ilustr Mariana Massarini. Ed. Paulinas. "Nesse mundo tão tecnológico em que vivemos pensar nas coisas simples tornou-se muito importante porque essas coisas simples ajudam e ainda se justificam no nosso dia a dia. O autor com sua poesia e a ilustradora com seu belo traço trazem para o centro da roda ele – o lápis – como o rei do espetáculo. E todos nós em algum momento da vida o colocou em posição de destaque. Seja para desenhar as primeiras letras ou para desenvolver alguma tese científica para beneficiar a humanidade. Muito bom esse encontro com a sua importância e utilidade!" (Neide Graça)  

 

 

Eloí Elisabete Bocheco

Cantorias de Jardim - texto de Eloí Elisabete Bocheco e ilust. de Elma. "O livro “Cantorias de Jardim” é um livro encantador. As lindas ilustrações dialogam perfeitamente com a bela e rica poesia da autora que nos deleita com belíssimas descrições poéticas evocadas com toda a intensidade e beleza que a flora e a natureza podem suscitar. Cada métrica homenageiam flores diversas, descritas de forma tocante e ricamente ilustradas com as cores dos sentimentos sinceros e profundos seja da memória do passado às narrativas das emoções do presente." (Mercedes Fernandes)

 

Tá Pronto seu Lobo? Poesias de Eloí Bocheco, ilustrações de Suryara Bernardi, ed. Formato. "Um lindo livro de poesias rimadas em sua maioria refletindo o delicado mundo da infância, regados a sonhos, fantasias, segredos, e a forças da natureza como a flora e a fauna.  As lindas ilustrações dialogam de forma especial com as poesias. A escolha do título para o livro tem sua relevância no sentido de chamar o leitor para conhecer a graça e a riqueza dos versos da autora:“Então vaaamos, seu Lobo! A Festa no céu já começou faz séculos!”. (Mercedes Fernandes)

 

Eva Funari

Filó e Marieta (Texto e Ilustr Eva Furnari) Ed. Paulinas. "Uma história contada com ilustrações coloridas e expressivas, sobre a amizade divertida entre duas amigas e da situação provocada por um presente. As imagens nos remetem entre outras leituras a não desistirmos nunca da criança que existe dentro de nós." (Mercedes Fernandes)

 

Umbigo indiscreto (Texto e Ilustr Eva Furnari) Ed. Moderna. "Com uma linguagem humorada a autora aborda temas como inveja, egoismo e injustiça, oferecendo uma bela reflexão sobre a aceitação do próximo, diálogo e solidariedade" (Neide Graça)

 

 

Fabiana Guimarães Rocha

O Senhor do Tempo e outras histórias – Fabiana Guimarães Rocha, ilustrações de Simone Matias, ed. Paulinas. O tempo e todo o universo particular da natureza são motivos de encantamento na prosa poética da autora. A lua e suas fases se juntam aos elementos água, terra, fogo e ar inspirando cor e fantasia em sintonia com ilustrações expressivas e delicadas de seres encantados e a natureza ao redor. O tempo enleva os versos sobre a natureza viva e nos transportam para um mundo possível onde seres distintos como fadas e formigas convivem em perfeita harmonia.” (Mercedes Fernandes)

 

Fábio Monteiro

A menina que contava. Fábio Monteiro. Ilustr. André Neves. Ed. Paulinas. “Alga é uma menina muito observadora que enxerga números em tudo à sua volta. A história é a constatação da presença dos números no decorrer da nossa vida e das infinitas combinações de oportunidades que a vida nos apresenta. E Alga encontrou um companheiro que também gosta de contar... histórias. Companhia ideal para ambos acumularem e repassarem boas experiências.” (Neide Graça) 

 

Cartas a Povos Distantes – Texto de Fábio Monteiro, Ilustrações de André Neves, ed. Paulinas. "Um livro denso e sensível que nos apresenta um personagem de nome Giramundo que a pretexto de uma fértil imaginação atravessa o mundo em narrativas diversas através de trocas de cartas “com um certo amigo de Luanda” que curiosamente tem o mesmo nome dele, Giramundo. Surge aí uma geração de “Giramundos”, em uma correspondência afetiva entre irmãos que vivem em continentes diferentes numa troca em que o leitor poderá usufruir de vasta pesquisa sobre a narrativa de povos distantes. A história através de cartas, ainda que possa ser a grande aventura de um menino com uma grande imaginação em busca da verdadeira descoberta das rotas físicas e existenciais de uma trajetória humana, é rica em detalhes. As belas ilustrações aprofundam esta busca territorial em traços fortes, coloridos com a delicadeza do olhar que só a imaginação pode proporcionar. Este livro convida ao leitor viajar junto com Giramundo.(Mercedes Fernandes)

 

Fernanda Lopes de Almeida

Pinote, o Fracote e Janjão, o Fortão (Fernanda Lopes de Almeida e Alcy Linares). Ilustr. Alcy Linares. Ed. Ática. "A força do pensamento e da sensatez pode driblar o poder da ignorância. Relações de afetos e amizades devem ser conquistadas e não impostas pela força. Nesse embate entre dois poderes tão diferentes Pinote ensina uma lição pra Janjão, amizade é cumplicidade e não imposição". (Mercedes Fernandes)

 

Gato que pulava em sapato (Fernanda Lopes de Almeida). Ilustr.Cecilia. Ed. Ática."Proteção em demasia compromete o aprendizado da vida, assim nos mostrou o esperto gatinho da história. A liberdade de aprender é fundamental para se enfrentar a vida, sapatos são para calçar e telhados para se aventurar. Mas carinho e cuidado nunca é demais, que bom que tudo acabou bem entre o gatinho e sua dona". (Mercedes Fernandes)

 

 

Gianni Rodari

Quem sou eu? (Gianni Rodari) Ilustr Michele Iacocca. Ed.Salamandra. "Quem sou eu? Esta é uma pergunta que sempre nos fazemos, em algum momento, ao longo da vida. Pedro, o menino-personagem descobre seus múltiplos papéis sociais através dessa simples pergunta, que repete a todos à sua volta. Esse é um daqueles livros com "cara" de infantil que se aplica a todas as idades e que reforça a importância, em qualquer fase da vida de um constante autoconhecimento, afinal tudo que vivemos está em nós".(Neide Graça)

 

Gloria Kirinus

Formigarra, Cigamiga. Gloria Kirinus. Ilustr Ingrid Osternack. Ed. Paulinas. “Formigas e Cigarras, além de protagonistas da velha fábula não são somente dois nomes embaralhados. A versão apresentada de forma poética traz a mistura de identidades e principalmente mostra, através de lindas ilustrações, que não se pode ser apenas “isto ou aquilo”. Uma história que apresenta a necessidade da combinação e equilíbrio das diferenças.” (Neide Graça)

 

Heinz Janisch e Helga Bansch

 

A casa na Praia Texto de Heinz Janish, ilustrações de Helga Bansch  ed. Larousse Júnior. Esta história nos conta um encontro inusitado entre um caramujo persistente que sempre sonhou com uma casa na praia e um gigante pacato e entediado. Com lindas ilustrações a história vai sendo contada mostrando as aventuras de ambos na direção da praia mais próxima e a transformação e a emoção dos personagens ao chegar ao seu destino. A boa vontade do gigante em encurtar uma viagem praticamente interminável para o caramujo e as novas possibilidades para uma nova vida para o Gigante dão a dimensão do humano. A troca pode existir entre seres diferentes quando a amizade é sincera(Mercedes Fernandes) 

 

A ponte (Heinz Janisch) Ilustr Helga Bansch. Ed. Brinque-Book. “Esse rico conto nos coloca frente a frente com um enorme urso e um gigante que se encontram no meio de uma ponte estreita e frágil, onde cada um dos dois precisa atravessar, mas nenhum quer ceder à passagem ao outro. Surge uma situação inevitável que nos remete a tantas similares vividas em sociedade. Uma pequena ponte é a dimensão do impasse onde cada um deseja priorizar seu espaço imediato, e é então que nos surpreendemos quando uma boa ideia sugerida por um deles dá resultado. De repente os dois se unem em um abraço inusitado que faz com que ambos girem coreograficamente como um passo de dança, fazendo com que cada um siga o seu destino. A metáfora da ponte estreita se alarga aos compassos de duas forças poderosas e conciliadoras, que juntas descobrem que a melhor disputa é quando os dois lados ganham. Vale ressaltar a riqueza e expressividade das ilustrações que dialogam magistralmente com a objetividade do texto e magicamente nos capturam para dentro da história. (Mercedes Fernandes) 

 

Dona Dolores. Heinz Janish. Ilustr Helga Bansch. Editora Brinque-Book. “Dona Dolores, uma menina de 91 anos, compartilha com um menino seu mundo de curiosidade, paciência, bons ouvidos e habilidade com as mãos. O que mais pode querer o menino, que entende como ninguém esse mundo dela? Aliás, a visão da história é a dele, menino só na idade, que enxerga a vida com o mesmo olhar mágico de Dona Dolores. Uma linda história que compartilha a imaginação de ontem e hoje, com ilustrações inspiradas e fala com doçura de temas universais: solidariedade, infância e velhice.” (Neide Graça)

 

Mais um daqueles dias...Heinz Janisch. Ilustr Helga Bansch. Ed. Biruta.”Um tema aparentemente simples sobre os nossos dias mostra que a invenção e imaginação pertencem a todos nós crianças de todas as idades. As nossas vontades de cada dia pertencem a categoria dessas possibilidades que resultam nas nossas histórias que contamos vida a fora.” (Neide Graça)

 

 

Hermes Bernardi Jr.

Pé de sapato (Texto e Ilustr Hermes Bernardi Jr.) Ed. Biruta. "O sapato pode ser a metáfora de movimento que ajuda a romper a paralisia e acomodação. É o que acontece numa certa cidade onde coexistem cidadãos estagnados e uma árvore em constante estado de mutação desde que a curiosidade despertada por uma menina, que não tem medo de sair da rotina, permite que um desafio de mudança por lá aconteça. Uma nova perspectiva surge com a chegada de um novo membro na cidade, um sapateiro com ideias novas e cheias de movimento e vibração. Uma linda história envolvente que traz uma narrativa visual exuberante fundindo texto com uma ilustração rica em pinceladas coloridas significativas". (Mercedes Fernandes

 

Ieda de Oliveira

A cobra e o sábio (Ieda de Oliveira) Ilustr Ivan Zigg. Editora Larousse Junior. Uma deliciosa história de Marluce, a cobra que não se conforma em ser cobra e sonha em ser um animal de estimação. Só que ela é muita ansiosa e não interpreta corretamente os conselhos do sábio. Muito humor e uma ilustração primorosa é garantia de um crescente interesse. (Neide Graça)

 

Ilan Brenman

 

A cicatriz (Ilan Brenman) Ilustr Ionit Ziberman. Ed. Cia das Letrinhas. "A vida e suas marcas salpicam esse livro infanto-adulto de nome forte e ilustrações inspiradas. Ele nos ajuda a revisitar nossas marcas visíveis acompanhadas de muitas lembranças. Mas, principalmente nos faz visitar também as cicatrizes ocultas geradas pelos desencontros que a vida também traz. E isso também pode ser muito bom: é nossa porção adulta lado a lado com a nossa criança." (Neide Graça)

 

 O Alvo (Texto de Ilan Brenman e iIlustrações de Renato Moriconi, ed. Ática) Esta história é baseada em um conto que remonta à comunidade judaica europeia e fala de tolerância, aprendizado e confiança nos ensinamentos de pessoas experientes que nos ajudam a ver a vida de uma maneira mais inteligente e objetiva. Um professor muito respeitado sempre tem uma boa história para explicar um problema. Lindamente ilustrada e dialogando inteiramente com a história O Alvo atinge seu objetivo quando mostra que ao redor de um problema poderá um existir ‘mar’ de possibilidades para encará-lo e resolvê-lo. (Mercedes Fernandes)

 

 

Janeen Brian

Para onde vai a quinta-feira? (Janeen Brian) Ilustr Stephen Michael King. Ed. Binque-book. "Um texto que evoca o desfecho misterioso de um dia na vida de dois amigos, que juntos seguem em busca do fim da quinta feira antes que a sexta feira apareça. Mistérios perdidos na temática da temporalidade muito presente no imaginário infantil. A felicidade de um dia plenamente feliz é finalizada com a despedida da lua e a chegada do sol, segredos da existência! Destaque para as belas e oníricas ilustrações em perfeita sintonia com a história". (Mercedes Fernandes)

 

 

João Guimarães Rosa

As margens da alegria, conto de João Guimarães Rosa, ilustrações de Nelson Cruz, editora Nova FronteiraO aprendizado de um Menino através do seu olhar novidadeiro nos traz o mundo reflexivo de Guimarães Rosa, nesse conto onde a infância é retratada em delicadas passagens de descobertas de grandes momentos. Um grande presente do mundo e estilo Guimarães Rosa para o mundo infantojuvenil. (Neide Graça)

 

 

Jonas Ribeiro

A gargalhada de alegria de Dona Ecologia – Texto de Jonas Ribeiro e ilustrações de André Neves, ed. Elementar. "Um texto simples que aborda o sentido da natureza e sua sustentabilidade no planeta. A Ecologia como um personagem evoca um ser que se preocupa, questiona a sociedade, com suas contradições e adversidades, tais como poluição, desequilíbrio e preservação da natureza. Uma história que explora o sentimento e pureza da infância e o legado para as gerações futuras que deveriam cuidar e cultivar o afeto e devoção pela Mãe Terra.(Mercedes Fernandes) 

 

Colcha de Leituras (Jonas Ribeiro) Ilustr. Márcia Szélida. Ed. Mundo Mirim. "Apresenta o tema formação de leitores em linguagem objetiva e poética. Uma colcha repleta de dicas e informações sobre a leitura e seu universo". (Neide Graça)

 

Ciranda de meias (Jonas Ribeiro) Ilustr. Laz Muniz. Ed. Dimensão. "O mundo de Bruno e Marcelo é atravessado pela síndrome de Down. Duas visões, duas experiências. Ela une duas turmas e mostra as síndromes mais invisíveis do dia a dia: 'síndrome do degrau: a gente escolhe um degrau para nele ficar sentado a vida inteira e ninguém mais consegue ver a gente fazendo outra coisa, a não ser ficar sentado e parado no degrau'. " (Neide Graça)

 

E foi assim que me tornei escritor (Jonas Ribeiro) Ilustr. Simone Matias. Ed. Elementar."Que coisa boa poder além de conhecer os personagens ser também apresentada a história do seu autor! Uma história repleta de outras estórias de mais de 100 livros publicados e milhares de visitas a escolas. Um verdadeiro representante do fantástico mundo da imaginação. Precisa mais?". (Neide Graça)

 

 

Há um sol na solidão de Eduarda (Jonas Ribeiro) Ilustr.Ana Raquel. Ed. Abacatte."Quem disse que solidão não combina com infância precisa conhecer Eduarda e sua avó Angelina. A história fala da alegria e da solidão que existem igualmente na infância e na velhice" (Neide Graça)

 

Mãos tagarelas, bocas sorridentes (Jonas Ribeiro) Ilustr.Everly Giller. Franco Ed. "É a história inspiradora de uma família surda onde seus integrantes usam as mãos para falar e as bocas para sorrir com liberdade e felicidade”.  (Neide Graça)

 

"Uma história que mostra uma família especial como tantas outras, que se comunica de forma distinta através de gestos e expressões faciais. É interessante poder compartilhar uma narrativa que revela uma família de deficientes auditivos de forma tão delicada e poética onde acontecem momentos de harmonia, discórdia, alegrias e dores como em tantas outras. A curiosidade fica por conta do animal doméstico da família, um gato, o único que supostamente escuta de forma tradicional.  Ao final da história a mensagem que fica é que não importa os códigos de comunicação, o interessante de fato é a relação sentimental que se estabelece e o entendimento necessário que simplesmente acontece." (Mercedes Fernandes) 

 

O mundo de cabeça pra baixo. Texto de Jonas Ribeiro.  Ilustr Cláudia Cascarelli. Ed. Cortez. "O tema que até parece um dos mais difíceis, a separação dos pais, é tratado por Jonas Ribeiro com delicadeza e pela ótica da criança, que usa sua imaginação para tentar entender a dor que sente. Há no texto um interessante diálogo da criança com a mãe sobre o assunto, além das lindas ilustrações de Cláudia Cascarelli." (Neide Graça)

 

O vestido florido nos olhos de Aparecido (Jonas Ribeiro) Ilustr Marco Antônio Godoy. Ed. Cortez. "A história de Aparecido e Aurora, ambos viúvos, é de muita ternura e felicidade. A pergunta é: existe uma idade certa para amar? No meio do caminho tinha uma vizinha que se incomodava com a felicidade dos dois. A história fala de perdão e esperança com muita poesia e muito especialmente do vestido florido nos olhos apaixonados de Aparecido. Vale o passeio delicioso pela delicadeza dessa história." (Neide Graça)

 

 

José Saramago

A maior flor do mundo (José Saramago) Ilustr João Caetano. Ed. Cia. das Letrinhas. "A história do menino e da flor combina, e muito, com a fantasia de grandiosidade do mundo do faz de conta. Nela a ilustração é fundamental, complementa e até nos conta uma história própria. O autor apresenta aos leitores uma proposta/convite para criarmos a nossa própria história. E na minha 'estória' a flor e o menino se equivalem, são ambos do tamanho do mundo; nela prevalece a busca aventureira do menino-herói e a sua reflexão sobre si mesmo e sobre o próximo." Vídeo do livro em: http://www.youtube.com/watch?v=HcDaT03y2no (Neide Graça)

 

Judy Goldman

O coelho e a raposa – um conto do povo Kiliwa, Adaptação Judy Goldman, com Ilustrações de Ricardo Peláez e tradução em português por Graça Graúna, ed. FTD. “Uma história muitas vezes pode revelar contradições morais como a de um encontro entre uma raposa faminta e um coelho muito esperto. O predador e a vítima cara a cara nos mostra que muitas vezes uma postura estratégica e inteligente diante de uma situação ameaçadora e inevitável pode ser mais eficaz do que o emprego da força e da arrogância. Essa história foi trazida pelo autor ao pesquisar a tradição oral do povo Kiliwa, um grupo indígena do México. Ao longo dos anos, os remanescentes dessa etnia buscam através de sua cultura melhorar as condições de sua comunidade, motivando e ensinando os conhecimentos de sua tribo a seus descendentes.” (Mercedes Fernandes)

 

Julien Cachemaille

Fernand, l'éléphant rose. Fernando, o elefante rosa. (Texto e Ilustr. Julien Cachemaille) Editions de la Chaussete. "Um elefante rosa triste e um segredo. Fernando é um elefante que sente falta de compartilhar seu segredo, e sua baixa estima o afastava de outros elefantes e também de outros bichos a sua volta. Ele se achava só no mundo e diferente dos outros. Até que um dia ele descobre que existem outros elefantes como ele, que ao contrário não tinham medo de revelar seus segredos. É a injeção de ânimo que Fernando precisava para despertar e sentir-se pertencente ao mundo e passa a sorrir e compartilhar sua vida com todos os amigos em redor." (Mercedes Fernandes)

 

Jutta Bauer

A rainha das cores (Texto e Ilustr Jutta Bauer) Ed. Cosacnaify."As cores como metáfora da complexa existência humana. De forma simples, porém profunda, a autora e ilustradora nos conta em seu livro uma deliciosa historinha em que utiliza através de suas ilustrações, o significado e uso das cores e texto simples, um estímulo para desenvolver uma obra sobre sentimentos e emoções que perpassam nossas relações com as pessoas e o mundo. Para tal, abusa alegremente da riqueza dos traços e os matizes das cores.(Mercedes Fernandes) 

 

Kalunga

Em nome da mãe, em nome do Pai. texto de Kalunga e ilustrações de Rosana Urbes. Ed. Paulinas. "Um livro de poemas para crianças, jovens e adultos inspirados nos delicados sentimentos da infância, narrando de forma simples o forte vínculo materno e paterno entre pais e filhos. O autor descreve através de uma narrativa poética, os diversos padrões familiares, como a importância de se estabelecer relações integradas entre pais e filhos, firmando os valores ético e sociais de convivência ao tecer relações de amor, respeito, alegrias, e descompassos que vão detalhar a importância do universo familiar no universo das crianças.(Mercedes Fernandes)

 

 

Léo Cunha

Cantigamente – Texto de Léo Cunha e Ilustrações de Marilda Castanha & Nélson Cruz, ed. Nova Fronteira.  "Cantigamente é uma obra poética criada por Léo Cunha, um autor acostumado a se comunicar com o imaginário infanto-juvenil e lindamente ilustrado por dois artistas.  A obra é constituída de duas partes. Na primeira parte, “Cantiga” nos carrega para a riqueza do mundo da infância onde o autor procura despertar no pequeno leitor o significado das palavras, ricas em formas e cores, em traços criativos e alegres traduzidas de forma bem humorada nas ilustrações de Marilda Castanha; A outra parte “Mente” propõe um mergulho na imaginação, utilizando certa desconstrução das palavras ao buscar os caminhos da reflexão, para além do sentido do texto, com ilustrações realizadas por Nelson Cruz, que trazem algumas referências surrealistas, de linhas e traços na fronteira entre o real e o imaginário, instigando a criatividade do leitor. Seja para o universo da criança ou jovem de qualquer idade Cantigamente é leitura prazerosa em estreita harmonia entre autor e ilustradores." (Mercedes Fernandes)

 

Em boca fechada não entra estrela – Texto de Léo Cunha, ilustrações de Roger Mello, ed. Nova Fronteira. "Bela narrativa em prosa poética sobre o tema do medo, da ansiedade dos adultos e da necessidade de solidão das crianças para que a imaginação floresça. A menina em sua busca particular enfrenta medos e prazeres para enfrentar a noite escura para dialogar com as estrelas. Acontece que os pais dela, na agonia de protegê-la atrapalham a busca da menina em suaves devaneios. E, além disso, praticamente acaba com a poesia da menina em seu encontro e diálogo com uma suposta “estrela”. Estrelas às vezes se disfarçam de Vaga lumes para alcançarem as crianças. Mas os adultos não sabem disso! O livro traz belas ilustrações de Roger Mello que em busca de um tom azulado escuro provoca um efeito de uma coloração mágica da noite que aprofunda o lado sensível da menina." (Mercedes Fernandes)

 

Num mundo perfeito – Texto de Léo Cunha e Ilustrações de Salmo Dansa, ed, Paulinas  “Este livro nasceu de um jeito curioso. Meu amigo Salmo Dansa tinha feito as ilustrações para outro projeto, mas elas não foram usadas. Quando vi as imagens, prometi pro Salmo: ‘deixe que eu crio uma história a partir delas!’ Fiquei meses namorando aqueles personagens e paisagens , até que a ideia de inventar George, um menino com muitos talentos e um grande sonho.”(Léo Cunha).

“Num mundo perfeito” é um livro encantador não só pela forma como foi criado, mas também porque traz ilustrações belíssimas com traços referentes a um mundo de magia e encantamento, além de claras referências ao universo da sétima arte e também a personagens reais importantes que existiram e espalharam magia e encantamento ao mundo pelo menos um século e meio atrás. Léo não se intimidou em seu desafio e criou seu texto afinado com as ilustrações já desenhadas previamente. Para isso buscou inspiração em fatos, cenas referências do cinema, circo entre outras. O personagem principal é um garoto sensível e especial que queria ser um mágico e seu nome é George; outro personagem é Tia Paté que queria muito ajudar George, pois achava ele muito talentoso. George precisava buscar dentro de si mesmo suas habilidades e talentos e acreditar neles. A sensível história escrita por Leo Cunha integra se perfeitamente com as belíssimas ilustrações de Salmo Dansa como um projeto original. E o interessante é o elemento do afeto incorporado à história. Ao final a referência do menino mágico atuando como ‘Mágico da alegria’, a descoberta de um sentido solidário de prazer e a certeza de que se todos doassem um pouco, estaríamos todos “Num mundo Perfeito”(Mercedes Fernandes)

 
 

 

Lúcia Pimentel

Amanhã e Jájá (Lúcia Pimentel Góes) Ilustr Alice Góes. Ed. do Brasil. “A convivência entre seres de ritmos por vezes distintos pode ser um exercício de paciência e aprendizado que resultará em um produtivo compartilhamento na vida". (Mercedes Fernandes)

 

 

Luciana Rigueira

Coisa de irmão. Luciana Rigueira. Ilustr. Elisabeth Teixeira. Editora Paulinas “Ciúme é um tema recorrente na literatura porque dá liga, apresenta o conflito. É uma combinação de vários sentimentos. Ciúme rima com expectativas, comparações, frustações e poder. É o sentimento de posse nublando a realidade. “Coisa de irmão” apresenta embate bastante interessante de amor e ciúme e da busca pelo afeto do outro. É apresentado, numa situação bastante comum na rotina familiar, de forma poética, acompanhado de ilustrações tão singelas quanto representativas da relação entre irmãos. Para o leitor-criança uma possível identificação, para o leitor-adulto a lembrança de situação experimentada. Vale para ambas as idades...” (Neide Graça

 

O Abraço do Antônio – Luciana Rigueira, Ilustr. Elisabeth Teixeira. ed. Paulinas. “Um livro simples que conta a delicada história de uma mãe que busca e um menino que encontra. O que? O afeto. Sim, um afeto plenamente possível e desejável. A autora consegue tocar no tema da adoção de forma direta e sensível, fazendo uso de expressivas ilustrações, e algumas edições com o texto em braile”.(Mercedes Fernandes)

 

O tempo da vovó (Luciana Rigueira) Ilustr Elisabeth Teixeira. Ed. Paulinas. "Este livro relata de forma singela a relação do tempo na infância e na idade adulta: da criança que se torna mulher mãe e depois avó. Quando criança o tempo sobra, seja nas brincadeiras seja  nas boas lembranças em família e com amigos. Na idade adulta o tempo falta por conta das responsabilidades que são muitas, porém na medida em que a idade avança o tempo é revisto com a qualidade de seu uso. O tempo presente resgata na lembrança da avó com sua neta a verdade: o tempo foi muito bem aproveitado e também muito bem vivido." (Mercedes Fernandes)

 

Luiza Leite

Azulzim - escrito e ilustrado por Luiza Leite e Tatiana Podlubny, ed 7 Letras.   “É interessante mostrar o texto das autoras, pois nele está uma ótima apresentação para uma ideia original de uma história. As autoras trabalham com um conceito de livro imagem com pequenas frases poéticas. Azulzim é uma experiência sensorial de graça e sensibilidade para público de todas as idades.” (Mercedes Fernandes

 
 

Lygia Bojunga

A bolsa amarela (Lygia Bojunga) Ilustr Marie Louise Nery. Ed. Agir. ""É um livro clássico da literatura infantojuvenil sobre uma menina curiosa e esperta que guarda seus desejos mais incríveis dentro de uma bolsa amarela: a de ser um garoto, crescer rapidamente e se tonar escritora. A bolsa amarela torna-se o depositário de suas aflições, dúvidas e inquietudes, expectativas e frustrações. O livro é um convite ao aprendizado da vida, um ritual de passagem das mudanças pelo que passamos e/ou vamos passar um dia". (Mercedes Fernandes)

 

 

Manoel de Barros

Exercícios de ser criança (Manoel de Barros) Bordados Antonia Z.Diniz, Angela, Marilu, Martha e Sávia Dumont - Desenhos Demóstenes. Ed. Salamandra. "Uma peneira, um caixote, duas latas de goiabada, duas crianças e a poesia de Manoel de Barros constroem o mundo e a história do exercício para não nos esquecermos da nossa porção criança; costurado, bordado e rebordado através da sensibilidade da família Dumont". (Neide Graça)

 

Márcia Cristina Silva

Olhos de violino (Márcia Cristina Silva Silva) Ilustr Mateus Rio. Ed. FTD"Uma linda história poética sobre o sentimento de pertencimento, lealdade e afeto. Lino era um ser que nasceu passarinho, mas que foi criado por uma adorável família de Tatus. Acontece que em dado momento ele sente o chamado de sua essência maior, o que vai gerar um conflito interno em relação à família de criação seja por gratidão a quem sempre lhe confiou carinho, seja pelo medo do desconhecido. A terra e o céu fazem parte do mesmo mundo, e a descoberta e a verdade desta equação causou em Lino um verdadeiro sentimento de liberdade e acerto em sua decisão. Certo dia ouviu um som de violino, que o despertou para uma grande emoção, movimentando suas asas. E agora o que fazer com as regras? 'A única regra que parecia entender era: bata as asas e siga seu coração'. Vale ressaltar as belas ilustrações do livro em total sintonia com a sinfonia da história". (Mercedes Fernandes)

 

Márcio Vassallo

A fada afilhada de Márcio Vassallo, il. Marilda Castanha, ed. Salamandra. Uma história que revela sentimentos que envolvem as relações humanas. A busca do grande colo, do desprendido afeto sincero proporcionado por uma fada que também precisa ser acolhida e cuidada. A grande mãe que ampara o mundo também busca sua fada acolhedora, mas não pode esquecer-se de exercitar sua auto-estima para melhor ajudar a si e aos outros. (Mercedes Fernandes)

 

 

Maria Mazzetti

Maricota sem dona (Maria Mazzetti) Ilustr Edson Campos. Ed. Ao Livro Técnico. "História que expressa sentimentos da condição humana do dia a dia ilustrada de forma sensível através dos acontecimentos na vida de uma simples boneca que experimentando a rejeição e o abandono parte em busca de afeto sincero ao tentar encontrar uma dona que lhe dê carinho e acolhimento." (Mercedes Fernandes)

 

Marilza Conceição

O balé da chuva. Marilza Conceição. Ilustr Alessandra Tozi, Ed Gramofone. Mãe e filha... Falar dessa relação, tão cercada de delicadezas e mistérios é o belo exercício que Marilza Conceição nos propõe em “O balé da chuva”. E ela nos envolve na emoção do seu texto. As forças da natureza unem-se aos medos e curiosidades de mãe e filha no cotidiano da vida. É na cumplicidade do “silêncio observador” que elas constroem esse tão especial entendimento e enfrentam o medo de Nana. A ilustração de Alessandra Tozi, com pinheiros e casa de madeira nos remete a casa da “mãe” inventora do texto. É o balé da chuva explicando o balé da vida nos seus mínimos detalhes. Uma história tão aconchegante quanto colo de mãe e especialmente adequada aos sentimentos de crianças de todas as idades. (Neide Graça)

Uma notícia muito boa: o balé da chuva vai virar filme de curta metragem. Ele servirá roteiro para o quadro Casos e Causos da RPC TV (http://redeglobo.globo.com/platb/rpctv-revistarpc/

 

Marina Colasanti

A Moça Tecelã – Texto Marina Colasanti, ilustração com os Bordados da Família Dumont, ed. Global.  "A metáfora da tessitura ganha nesta obra uma dimensão profunda, a história tece palavras e sonhos que por sua vez são ilustradas com os extraordinários bordados da Família Dumont. A mulher solitária que tinha o poder de tecer a própria história teceu uma possível história de amor e entre linhas e desejos achou mais solidão. Enfim ao recobrar a liberdade teceu uma nova manhã, e outra vida com muitas outras possibilidades." (Mercedes Fernandes)

 

As janelas sobre o mundo: Longe como o meu querer, texto e ilustrações de Marina Colasanti, ed. Ática. "As janelas com vistas para 365 cenários servem como metáfora de uma existência a qual não podemos nos programar e estacionar. Pois em dado momento poderemos querer escolher um cenário e nele permanecer nem que seja debruçado em uma única janela. Ao não nos permitir desfrutar deste momento, poderemos deixar passar uma oportunidade única. E o que nos restará poderá ser uma frustração ou uma fantasia que nunca se concretizará." (Mercedes Fernandes)

 

Breve história de um pequeno amor de Marina Colasanti, il. Rebeca Luciani, editora FTD. "O acaso, uma obra no telhado e um encontro inesperado de um ninho de filhotes de pombo desencadeia uma história de nascimento, crescimento e desfecho na vida de uma mulher. Com todos os problemas e soluções a narrativa evoca situações de sentimentos comuns da vida onde preocupação, aflição, paciência e aprendizado ainda insistem em nos pegar de surpresa. As ilustrações belíssimas de Rebeca Luciani acrescentam beleza e encantamento ao enredo." (Mercedes Fernandes)

 

O menino que achou uma estrela, textos e ilustrações de Marina Colasanti, ed. Global. "Este livro é pura poesia! Conta a história de um menino que salva e acolhe uma estrela que caiu do céu e não sossega enquanto não a vê salva e brilhante em seu habitat natural. A energia saudável do afeto, pode nos fazer desafiar as leis do tempo e do espaço. O carinho e o cuidado é benvindo entre todos os seres habitáveis desse mundo, sejam pessoas, animais, plantas e estrelas." (Mercedes Fernandes)

 

Uma ideia toda azul: Uma ideia toda azul, texto e ilustrações de Marina Colasanti, ed. Global. "Era uma vez um Rei que ao conseguir encontrar uma ideia, encantou se com ela, mas preferiu esconde-la de si mesmo guardando a em um lindo quarto do reino.  Tal qual o Rei nós também podemos encontrar uma ideia iluminada e deixa-la de lado, em um quarto fechado de nossa mente na aventura do esquecimento. Este breve conto nos remete a oportunidade que podemos ter na vida ao obtermos uma ideia, darmos o devido valor e quem sabe desenvolve-la! Pois deixa-la guardada seja onde for, correremos o risco de não só perde-la como de esquecê-la." (Mercedes Fernandes)

 

 

Mario Bag

O Papagaio gaiato – Texto e ilustração de Mario Bag, ed. Paulinas. "Este livro é uma deliciosa mistura de ilustrações muito criativas em um texto escrito em rimas fáceis de forma bem espirituosa sobre temas que causam compaixão e reflexão. A história de um papagaio que se deixa passar por um “gatinho” abandonado e acaba construindo uma relação de afeto com sua dona é um enredo encantador. Como nem tudo na vida é fácil, ele terá alguns desafios pela frente que será a dura tarefa de conquistar o narrador da história." (Mercedes Fernandes) 

 

Matilde Rosa Araújo

O Capuchinho Cinzento. Matilde Rosa Araújo. Ilustr André Letria. Ed. Paulinas. Quem não imagina o que acontece depois de cada final de um Conto de fadas?! Essa história narrada de forma poética e filosófica nos faz pensar sobre a finitude que também envolve os personagens encantados. Capuchinho Vermelho, a nosso Chapeuzinho Vermelho, também envelheceu assim como o lobo já não tão mal e também vencido pelo tempo. A personagem da história agora já não usa um capuchinho vermelho e sim um casaco cinzento e protetor, que a protege da chuva e do vento, mas não do tempo que inevitavelmente levará consigo uma nova história para nos fazer lembrar seu velho passado encantado.” (Mercedes Fernandes) 

 

Maurício Veneza

A pequena história de Dom Pedrito, el matador (Texto e Ilustr. Maurício Veneza) Ed. Formato. "As aventuras de Pedrito que na arena se transforma em Dom Pedrito Cochabamba de Avilez y Avilez, El Matador é digna, em detalhes, dos maiores eventos do gênero. Isso se Pedrito não fosse no fundo apenas um grande sonhador." (Neide Graça)

 

Mem Fox

Guilherme Augusto Araújo Fernandes – texto de Mem Fox, ilustrações de Julie Vivas, trad. De Gilda de Aquino, ed. Brinque-book. "Um texto clássico da literatura infanto juvenil, Guilherme é uma criança alegre que resolve fazer um ciclo de amizades curioso: alguns idosos vizinhos a sua casa. Ele gosta de conversar, ouvir histórias deles, com cada um criou um vínculo de afeto especial. Com D. Antônia ele além de dar atenção resolveu ajuda-la a buscar vestígios de sua memória colhendo em uma cesta objetos que ajudassem a encontrar suas lembranças e não é que conseguiu? Um encontro saboroso de gerações distintas unidas pelo afeto mais real e verdadeiro, a amizade." (Mercedes Fernandes)

 

Mia Couto

O beijo da palavrinha de Mia Couto, ilustrações de Malangatana, Editora Língua Geral. Uma história plena de poesia, arte e significados que cercam seus personagens: os irmãos Maria Poeirinha e Zeca Zonzo e o tio Litorânio, que considera como falta grave a família não conhecer o mar. O texto inspirado de Mia Couto e as cores de sol e mar do artista moçambicano Malangatana traçam o caminho do sonho como libertação para o sofrimento do cotidiano dessa família que pode ser qualquer uma, perto e distante de nós. (Neide Graça)

 

 

Monika Feth

Vô, eu sei domar abelhas de Monika Feth, ilustr de Isabel Pin, Brinque-Book. "Existem várias formas de se falar de morte com uma criança. Acho essa - a poética - muita adequada. Com sensibilidade e muita delicadeza o texto fala de superação através da descoberta do neto do seu jeito próprio e especial de lidar com uma grande ausência. (Neide Graça)

 

 

Neide Graça

A Ciranda da Alice: brinquedos e brincadeiras (Neide Graça) Ilustr Ricardo Goulart. Ed. Muiraquitã"Alice e sua família se mudam da cidade para o campo, a vida começa a dar voltas: o mundo prático da vida urbana dá espaço a uma nova realidade rural das coisas simples, das tradições mais orais, e a busca por uma memória do passado onde as brincadeiras de criança dialogavam com a natureza campestre, árvores, galhos, rios e a real convivência com a flora e a fauna local. O que acho incrível nesta obra é o resgate das brincadeiras e brinquedos que permitiam que a imaginação fosse usada com criatividade e muita vitalidade. As cantigas de roda, o rico cancioneiro folclórico é divulgado ricamente no texto com dinâmica e graça. É encantador perceber que a “A Ciranda de Alice” nos revela em suas aventuras a verdadeira e inevitável ciranda da vida." (Mercedes Fernandes)

 

"Como ficará a vida de Alice, Edu e Maria, quando a família repentinamente, precisa mudar-se para um local afastado?  Como sobreviverão sem a facilidade tecnológica do dia a dia? Quais alternativas criarão para se adaptarem à situação? Crianças tem sabedoria e criatividade. Elas brincam de transformar a vida da família com o que conhecem melhor: brinquedos e brincadeiras, que são uma grande oportunidade das crianças visitarem o passado, os adultos viajarem nas lembranças e juntos criarem um mundo aprendiz. Com a confecção dos brinquedos as mãos das crianças criam uma ciranda invisível de sentimentos compartilhados. A brincadeira, por sua vez, alimenta a imagnação e fantasia delas. Convido-os - adultos e crianças - a completar a roda e fazer parte a Ciranda da Alice". (Neide Graça)

 

Alice e o mistério da casa verde (Neide Graça) Ilustr Ricardo Goulart. Ed. Muiraquitã. "A autora nos prestigia com um delicado e profundo enredo inspirado no arquétipo de família e infância bem realista e através de sua personagem principal Alice nos revela sentimentos reais de perdas e angústias mesclados com a prática saúdavel do uso da imaginação e leveza das brincadeiras de criança. Que mistérios envolvem Alice e os encantos da Casa Verde? A autora nos conduz nesta rica história a descobrir a natureza de pequenos mistérios e encantos que é próprio da infância, dos segredos e descobertas da magia sonora de instrumento tão curioso quanto instigante e das dores e delícias de ter uma caixinha especial onde a personagem guarda seus pequenos grandes sonhos e desejos reais e também a força de sua existência. Esta história nos inspira a conhecer mais sobre o universo de Alice". (Mercedes Fernandes)

 

 "Era uma vez uma menina chamada Alice que acreditava no poder dos sonhos... Ela sempre aliou à sua curiosidade de criança uma fértil imaginação. Nada mais natural do que seu interesse em desvendar o mistério daquele casarão verde, antigo, de dois andares. Um dia, ela descobre na casa verde um som tão belo, quanto desconhecido. Aquele instrumento musical com suas curvas e brilho próprio, a viola da gamba, trazem para a sua vida um mundo desconhecido, de muita delicadeza e um sonho passa a habitar o seu coração. Sonhar é mesmo verbo das possibilidades e Alice sempre foi um sonho em movimento. A sua caixinha de sonhos é a prova disso." (Neide Graça)

 

O sumiço da caixinha de Alice (Neide Graça) Ilustr Ricardo Goulart. Ed. Muiraquitã. "A relação entre irmãos na infância e adolescência às vezes nos trazem lembranças de conflitos, competições, brincadeiras e comparações. Na família de Alice não é diferente. Seu irmão Edu sem querer, causa um alvoroço ao pegar a caixinha mágica da irmã, pois sentia se em desvantagem afetiva com relação à família. A confusão se estabelece e o menino não sabe como poderá fazer para levar de volta a caixinha surrupiada e que não trazia nada dentro. Como nada? De fato aos olhos de Edu a caixinha estava vazia, porém de forma simbólica e misteriosa ela levava os desejos e sonho de Alice que o menino ignorava. Quando descobriu já era tarde, pois o desejo dela já havia se realizado. Uma aventura contada de forma dinâmica e agradável, temperada com uma dose de suspense necessária para o entendimento do desfecho de mais uma aventura de Alice e sua família." (Mercedes Fernandes)

 

"Alice e Edu são irmãos e se gostam muito, mas vivem disputando tudo. O dia a dia deles é sempre cheio de muita novidade e confusão. Os aniversários deles, todos os anos, viram motivo para briga. Como nasceram no mesmo dia, em anos diferentes, pois não são gêmeos, a mãe insiste em comemorar os dois juntos, numa só festa.Outro motivo para as brigas dos irmãos é que Edu adora mexer nas coisas de Alice, o que a irrita demais! Ela ganhou uma caixinha da avó, onde diz que guarda seus sonhos. E é justamente essa caixinha que, de repente, some! É claro que Alice logo desconfia de Edu! Será que foi mesmo ele o responsável pelo sumiço, ou dessa vez é inocente? Como será que Alice descobrirá o mistério que cerca tal sumiço? Essa é a história deles!  (Neide Graça

 

Nicolas van Pallandt

A borboleta azul (Texto e Ilustr Nicolas van Pallandt) Ed. Brinque-Book. “Martinho, o urso marrom é um colecionador de borboletas. Um dia ele vê a mais bela borboleta azul da sua vida e decide incorporá-la, a qualquer preço, à sua coleção. Ele não mede esforços para alcança-la: colinas, topo das árvores, nuvens. Vai até a lua, que pela sua condição de minguante o traz, contra sua vontade, de volta à terra. Essa experiência o modificou, entendeu o sentido e a necessidade da liberdade. Devolveu à natureza todas as borboletas aprisionadas e passou a ter alegria em apenas apreciá-las. A ilustração complementa lindamente a história” (Neide Graça)

 

Ninfa Parreiras

Com a maré e o sonho (Ninfa Parreiras) Ilustr André Neves. RHJ Ed. "Esse é daqueles livros que nos pega pela poesia que percorre o texto através do sonho de uma menina observadora. Para a criança há o interesse pelo desconhecido representado pelo mar, para os idosos as lembranças guardadas nos sonhos do passado, incluindo as muitas histórias que envolvem as lembranças dos interioranos sobre a mística do mar. Com as lindas ilustrações navegamos e percorremos, através da menina, as infâncias de todos nós. Lindas as palavras de André Neves "Mergulhei em um texto cheio de imagens, para pescá-las precisei apenas fechar os olhos e colocar os sonhos no anzol". A nós cabe apenas compartilhar... (Neide Graça)

 

Poemas do Tempo (Ninfa Parreiras) Ilustr Mariana Massarani. Ed. Paulinas. "Interessante reflexão sobre o tempo que toca o universo adulto e infantil, onde o imaginário não tem fronteiras. Palavras tocantes sobre histórias simples da vida viram poesia e beleza com ilustrações que nos convidam a desafiar os alegres e inexplicáveis aspectos da natureza que nos cerca."(Mercedes Fernandes

 

Ole Konneck

Vai, você consegue (Texto e ilustrações de Ole Könneck) Ed. Brinque-Book. “O autor/ilustrador dessa história sinaliza através de seu carismático personagem Breno, o quanto é importante enfrentarmos os pequenos grandes desafios da vida com força e determinação. E como é fundamental o incentivo daqueles que nos apoiam para darmos impulso a novos enfrentamentos. A narrativa é simples e agradável como um mergulho inesquecível nas águas de nossa imaginação!” (Mercedes Fernandes) 

 

Oliver Jeffers

 

Como pegar uma estrela (Texto e Ilustr Oliver Jeffers). Ed Salamandra. "Pegar uma estrela no céu pode ser um sonho impossível. O livro mostra uma história de busca, persistência e sonho até que uma estrela finalmente aparece na vida do menino. Surgiu pra sempre a estrela tão sonhada, seja vinda do céu ou do mar, era a estrela possível alcançada" (Mercedes Fernandes)

 

 

Pat Palmer

Que saudades de você... Pat Palmer. Ilustr Eve Ferretti, trad Ana Lúcia Brandão, Ed. Paulinas. Um livro escrito de forma simples e didática com um conteúdo de orientação e ajuda ao jovem leitor no sentido de lidar com as dificuldades do luto e da perda física de seus entes queridos. A ilustração, colorida e alegre ameniza a profundidade do tema em traços delicados e poéticos. Vale a pena conferir!” (Mercedes Fernandes)

 

Peter Carnavas

Coisas importantes – Texto e ilustrações de Peter Carnavas. Ed. FTD. “Uma história bem real contada de forma sensível sobre sentimentos de perda e como ele se manifesta de forma distinta em cada um de nós: na história a mãe deseja esquecer as lembranças do marido ausente e o filho deseja reviver a presença do pai do qual pouco se lembra. É a verdadeira falta que nos move mundo afora e que de certo modo se conforma através da linguagem do verdadeiro afeto, aquele que respeita o outro em suas escolhas.” (Mercedes Fernandes)

 

Peter Schössow

Mas por quê? A história de Elvis (Texto e ilustr Peter Schössow) Ed. Cosacnaify. "Livro tocante que nos revela a força de sua narrativa com ilustrações criativas e muitas significativas. A história mostra a necessidade do apoio e ajuda para a compreensão e superação das perdas daquilo que nos é mais precioso nessa vida que é o apego ao afeto e carinho incondicional daqueles que nos completam. Com isso o autor toca no delicado tema da morte usando uma linguagem visual expressiva e poética associada a um texto direto, com pitadas de humor". (Mercedes Fernandes)

 

Prisca Agustoni

O Colecionador de Pedras (Prisca Agustoni) Ilustr. André Neves. Ed. Paulinas. "Um conto sobre amizade e afeto entre dois jovens de personalidades distintas e puras. A autora dialoga através de sua prosa poética com as lindas ilustrações de André Neves, nos revelando como um olhar, uma escuta pode estreitar a beleza das coisas simples da vida, como colecionar pedras e lembranças." (Mercedes Fernandes)

 

Regina Chamlian

A raposa (Regina Chamlian) Ilustr. Helena Alexandrino. Ed. Paulinas. "Ainda que tudo seja um sonho da menina, da raposa ou do violino, o importante é que todos viveram a fantasia do encontro numa floresta encantada onde havia uma macieira carregada de maçãs. Lá tocaram violino, sentiram frio, calor e medo até que adormeceram e no cotidiano do despertar ficou apenas o mistério do sonho." (Mercedes Fernandes)

 

Vi uma estrela lá fora Texto de Regina Chamlian e ilustrações de Helena Alexandrino, Ed. Paulinas. Esta linda história fala ao leitor de forma sutil e delicada do sentimento de solidão a qual estamos todos sujeitos e da intensa busca a uma sensação de pertencimento, da trajetória de vida que pode emergir de um buraco escuro até a busca da luz na forma de um carinho, de um afeto sincero, de uma amizade que poderá nos leva até o caminho das estrelas. (Mercedes Fernandes)

 

 

Rodrigo Folgueira

Coach. Rodrigo Folgueira. Trad do escritor Léo Cunha Ilustr Poly Bernatene, Ed. FTD.“Uma história simples abordando um tema universal: a aceitação no mesmo convívio entre seres de raças diferentes. A curiosidade ou a busca por diferentes “amizades” entre seres de raças distintas é o que demanda essa historinha pitoresca onde um porquinho rosa surge no ambiente onde vivem os sapos. O porquinho emite sons que assemelham ao coaxar de um sapo e causa surpresa e desconforto ao redor. A confusão é tanta que o porquinho desaparece, e todos ficam surpresos quando o sábio besouro define de forma objetiva sua opinião: “Quem sabe ele queria fazer novos amigos?”. O livro traz fantásticas ilustrações dos personagens e do ambiente em que vivem e nos captura inteiramente para dentro da história: “Coach!”.  (Mercedes Fernandes)

 

Roger Mello

 

A flor do lado de lá – Concepção e ilustração de Roger Mello, ed. Global. Uma fábula poética de um ser que não enxerga além e deseja sempre o que não pode alcançar. Atrás dele, porém, sem que ele perceba, há um mar de possibilidades. Roger Mello ilustra de maneira fantástica este ser como uma anta sensível que não se dá conta que seu objeto de desejo está mais perto dela do que ela poderia imaginar. (Mercedes Fernandes)

 

Carvoeirinhos (Texto e Ilustr. de Roger Mello) Ed. Cia das Letrinhas. "Um relato emocionante de uma triste realidade vivida pelos meninos carvoeiros é descrito de forma original e poética, magnificamente ilustrada com sensibilidade e maestria pelo autor e ilustrador Roger Mello"  (Mercedes Fernandes)

 

Inês – Texto de Roger Mello, ilustrações de Mariana Massarani, ed. Cia das Letrinhas. "Inês é um livro impecável pelo texto, pelas ilustrações e projeto gráfico e nos revela o significado da frase: “Agora, Inês é morta”, tão propagada e com raízes históricas versadas por escritores clássicos portugueses como Camões e Bocage e com a devida explicação histórica do fato descrita pela historiadora Lilia Moritz Schwarcz que relata a saga do príncipe Pedro e a fidalga Inês de Castro no século XIV em Portugal. Nesta obra o premiado ilustrador Roger Mello, desta vez autor desta narrativa escolhe contar a história sob o ponto de vista da filha de Inês, a princesa Beatriz. Desta forma a história trágica, adquire contornos leves e inocentes na dor da perda e na veracidade dos fatos. As ilustrações de Mariana Massarani ajudam a embelezar a obra com traços fortes e expressivos sem perder a leveza poética do tom descrito pela jovem princesa." (Mercedes Fernandes)

 

 

Todo cuidado é pouco (texto e ilustrações de Roger Mello). Ed. Cia.das Letrinhas. "Narrativa ricamente ilustrada que nos traz através de uma poesia visual, como a vida é uma rede intrincada de ações e reações que irão nos trazer consequências e gerar novas histórias. É o eterno retorno, a ciranda da vida. E pensar que neste livro tudo começou com uma Rosa branca que era vigiada por um jardineiro..."(Mercedes Fernandes)

 

Ossos do ofício (Texto e ilustr Roger Mello) Ed. Nova Fronteira. "Livro que faz parte da coleção Faz tudo, que coleta temas sobre profissionais que fazem parte de nosso dia a dia. Roger Mello escolheu contar a história de Florisval, um coveiro muito agitado que trabalha em um cemitério, cavando covas, cuidando de tumbas e do jardim. Um dia arrumando um armário de ossos encontra uma caveira que o faz refletir com a velha pergunta "Ser ou não Ser". A dúvida entrou dentro dele e não quis mais sair fazendo com que sua vida virasse de cabeça pra baixo, e a história do coveiro passa a ser uma história de mistério. Roger brinca com a narrativa de forma dinâmica sem desvendar o segredo do personagem. Destaque para suas ilustrações que agregam uma atmosfera de design gráfico, ao mesclar efeitos de colagens e texturas diversas com cores fortes, enriquecendo incrivelmente a história." (Mercedes Fernandes)

 

Vizinho, Vizinha. Texto de Roger Mello, Ilustr de Graça Lima, Mariana Massarani e Roger Mello. Ed. Cia. das Letrinhas. "Livro muito interessante, ao utilizar uma narrativa simples e divertida sobre as dificuldades dos relacionamentos entre pessoas que convivem numa mesma grande cidade e não se conhecem. Através dos sentimentos de solidão, alegria e da diversidade de sentimentos e experiências, a ideia de escrever sobre “Vizinhos” sugere uma metáfora elaborada com incríveis ilustrações variadas de cenas cotidianas entre vizinhos de apartamento, ao criar através da composição do texto com imagens, uma sólida rede de afetos possíveis e imagináveis. Importante destacar a originalidade do projeto do livro que foi a ilustração realizada por três diferentes ilustradores: Graça Lima, Mariana Massarani e Roger Mello que além de ilustrar também escreveu a história.(Mercedes Fernandes)

 

Rogério Andrade Barbosa

Karingana wa Karingana: histórias que me contaram em Moçambique (Rogério Andrade Barbosa) Ilustr Maurício Veneza. Ed. Paulinas. “Karingana wa Karingana (Era uma vez...) É tempo de histórias orais. O autor reapresenta-nos relatos orais que ouviu de crianças em escolas moçambicanas. São dois contos com o coelho como protagonista. No primeiro ele leva a melhor, usa toda sua sagacidade para enganar e salvar-se do crocodilo e no segundo é vítimas da sua grande curiosidade no embate com o galo. As ilustrações são muito sugestivas e complementam a ação das histórias”. (Neide Graça) 

 

Três contos africanos de adivinhação Rogério Andrade Barbosa. Ilustr Mauricio Veneza. Ed. Paulinas. “São recontos de histórias africanas de adivinhação com enfoque instigante e misterioso. O desafio dos três contos, que são ligados a furtos não solucionados, é despertar a curiosidade de quem lê para a solução das situações apresentadas. O ponto comum e destaque entre eles é o número três e a lógica da adivinhação. No 1º “Os três gravetos” o monarca desafia o adivinho do reino a descobrir o ladrão do anel; no 2º “Três mercadorias muito estranhas” um camponês precisa descobrir como atravessar o rio levando um leopardo que come cabra, uma cabra que come inhame e um saco de inhame. E no 3º “Três moedas de ouro” como se descobrir o culpado pelo roubo das moedas de ouro de uma pousada localizada numa cidade com movimentado mercado. Para aqueles leitores que não desvendarem o mistério ao final de cada conto existe a solução para cada desfecho. Destaque para as ilustrações de Mauricio Veneza.” (Neide Graça) 

 

Ronald Tolman

 

A casa na árvore. Texto e ilustrações de Ronald Tolman e Marije Tolman. Ed. Brinque Book. Pai e filha vão tecendo com lindas ilustrações, uma sucessão de eventos inesperados que resultam numa intensa e linda história sem texto onde as palavras submergem ao fundo do mar e em seguida poderão sobrevoar os céus da imaginação poética em cores lúdicas e significativas. O cativante dessa “história” com imagens é que o tema envolve o mundo infantil, juvenil e adulto, pois são múltiplos e subjetivos os traços e infinitas as histórias imaginadas com figuras que espelham a vida de todos nós. (Mercedes Fernandes)

 

Roseana Murray

Jardins – Poesias de Roseana Murray, ilustrações de Roger Mello, ed Manati. "Um imenso Jardim na forma de livro em que a poesia revela a delicadeza das palavras devidamente inseridas em um cenário de belíssimas ilustrações, onde traços e cores potencializam poemas, em clara reverência às maravilhas da natureza. Um jardim que dá gosto de conhecer e compartilhar." (Mercedes Fernandes)

 

Qual a palavra (Roseana Murray) Ilustr Victor Tavares. Ed. Paulinas. 'Que palavra mais unânime e profunda pode unir raças, escalar trilhas, navegar mares e correr os vários cantos do mundo? Em cada pedaço de mundo, grande ou pequeno, uma palavra estandarte costura a terra e o céu, costura os homens na terra, inventa a vida.' PAZ? A poesia de Rosena Murray recheia de graça e beleza a paisagem de desenhos animados como um filme alimenta a alma, de fé e alegria. A ilustração de Victor Tavares é pura arte e animação ' para que a terra possa continuar viva pra sempre, sempre viva rodando para sempre'. Em paz". (Mercedes Fernandes)

 

Retratos – Texto de Roseana Murray, ed. Minguilim. "Uma obra muito interessante apresentada como um Álbum de Retratos que registra momentos diversos da memória familiar de qualquer um de nós, com detalhes próprios dos álbuns tradicionais de família. Nesta edição as fotos são de pessoas anônimas que nos faz refletir sobre a grandeza de nossa história, de nossas raízes  e nossos vínculos de afeto." (Mercedes Fernandes)

 

Rubem Alves

 

Os três reis (Rubem Alves) Ilustr (bordados) Antônia Z.Diniz Dumont, Ângela, Marilú, Martha e Sávia Dumont, sobre desenhos de Demóstenes. Ed. Loyola. "O autor desenvolve uma nova história com livre interpretação de uma passagem do evangelho do que teria sido o despertar dos três reis magos para uma revelação que os uniria para sempre, guiados pelo brilho de uma estrela: "Diante do bebê que iluminava as estrelas, os reis se tornam sábios e profetizam: O Universo é um berço onde uma criança dorme". Para ilustrar a beleza do conto, o encantamento original dos bordados criados pelas irmãs (Antônia, Ângela, Marilu, Martha e Sávia Dumont) sobre desenhos de Demóstenes. Um trabalho magnífico que enriquece substantivamente a história". (Mercedes Fernandes)

 

Rui de Oliveira

Max Emiliano (Texto e ilustr. Rui de Oliveira) Ed. Nova Fronteira. "É um livro muito criativo que traz narrações poéticas e ilustrativas com traços coloridos e lúdicos. As imagens se repetem em um interessante movimento circular, criando novas perspectivas na história através de novos elementos visuais. Nesse ambiente mágico destaca-se a figura de um personagem especial - Max Emiliano - que parece um rei, mas pode ser um coringa, ou talvez quem sabe um mágico que vai cativando nossa imaginação para viajar com ele, nos levar para sua aventura e nos envolver com sua história." (Mercedes Fernandes)

 

 

Ruth Rocha

O Barba-azul – Recontado por Ruth Rocha, com ilustrações de Suppa, ed. FTD. "Conto clássico de Charles Perrault, recontado por Ruth Rocha de forma rimada. Em versos, ela conta a história de um misterioso viúvo de barba azul que já se casara diversas vezes e suas esposas desapareciam misteriosamente. Ao casar se com a que seria sua última esposa, esta sem querer descobre o terrível segredo de seu marido e suas esposas desaparecidas. Em clima de suspense e lindas ilustrações a história tem um desfecho inesperado, e apesar de ter sido escrito há muito tempo atrás, é uma boa reflexão sobre a opressão da figura feminina na cultura ocidental." (Mercedes Fernandes)

 

Faz muito tempo – texto de Ruth Rocha e ilustrações de Eva Furnari, ed. Ática. "Neste livro Ruth Rocha brinca com a ficção ao recriar uma aventura de um menino português que vem na caravela de Pedro Álvares Cabral e participa do momento crucial do descobrimento do que hoje chamamos de Brasil. De forma humorada a autora procura descrever o encontro de diferentes povos numa terra estranha  onde o menino faz muitos amigos entre animais e habitantes da terra, os índios. Em sua partida de volta para Portugal o menino promete retornar para rever os amigos e visitar a nova terra." (Mercedes Fernandes)

 

 

Sandra Ronca

Com que Bicho você se parece? Texto e ilust. De Sandra Ronca, ed. RHJ. "Um livro que nos diverte com rimas e lindas ilustrações ao nos fazer brincar com a proximidade e afetividade entre o homem e os animais. A autora e também ilustradora nos encanta com sua poesia tocante e verdadeira entrelaçando nossa alma humana  com os bichos mais incríveis que a natureza já criou." (Mercedes Fernandes)

 

O sumiço do O - texto e ilustrações de Sandra Ronca, Editora Prumo. Em uma leitura mais adulta desta história lindamente ilustrada podemos tirar que muitas vezes uma mudança de rotina pode ocasionar uma necessidade de adaptação e aceitação a diferentes realidades. O sumiço da letra “O” nos remete a uma metáfora que evoca os diversos desafios a que nos remete a vida no dia a dia.  “Desde quando letra tem vida?” E agora? Como viver sem a letra “O”? Eis o desafio: “Isso é uma loucura! Sem o O não há leitura!” (Mercedes Fernandes)

 

"Sumiço é sinônimo de perda, e perda – não importa a idade - sempre mexe com o coração. O lado bom é que embora seja uma situação de descaminho traz a expectativa da volta e a oportunidade de avaliação de um espaço ocupado e/ou desocupado na nossa vida. E isso vale não só para a vidinha de Mariana, nesse livro de texto e ilustração tão delicados de Sandra Ronca, mas também para a vida nossa do dia a dia. (Neide Graça)

 

 

Sarah Emmanuelle Burg

O segredo do amor (Ilustr Sarah Emmanuelle Burg) Ed. Gaivota. "Livro imagem que retrata de forma sensível e delicada as emoções descobertas das relações afetivas e todos os sentimentos que acompanham essa trajetória. Os traços em preto e branco ressaltam a relevância do tema com a entrada sutil do colorido vermelho que revela aos poucos a grandeza e aceitação do afeto em nossas vidas". (Mercedes Fernandes)

 

Sávia Dumont

Vou ali e volto já (Sávia Dumont) Ilustr: bordados Antônia, Ângela, Marilu, Martha e Sávia Dumont, sobre desenhos de Demóstenes e Martha Dumont) Ed. Cia das Letrinhas. "Vou ali e volto já" é a história de Duda e Terê, bordada de muito encanto e delicadezas. As amigas buscam um tesouro misterioso e encantado e leva uma galerinha a embarcar na aventura delas. A certa altura escancaram a mala de viagem e se perguntam o que cada um trouxe na bagagem. E os meninos e meninas Dumont trocam entre si o que trouxeram, fazem uma ciranda amorosa e descobrem o tesouro encantado!" (Neide Graça

 

Séverine Vidal

Esperando Vovó (Séverine Vidal) Ilustr Cécile Vangout. Ed. FTD. "O sentimento de perda pode ser um relato puro e belo no ponto de vista de uma menina que ao lidar com a dura realidade da vida, reconstrói uma esperança de viver. As ilustrações colorem de poesia e beleza essa história." (Mercedes Fernandes)

 

Silvio Costta

O cozinheiro atrapalhado de Silvio Costta, ilustr Taline Schubach. Editora Paulinas. “Brinca com os sons e traz possibilidades criativas e lúdicas que torna a leitura para as crianças bem pequenas um grande prazer. Mas o jeito atrapalhado do cozinheiro também conquista os idosos. As ilustrações bem-humoradas os remetem às suas primeiras aventuras na cozinha.” (Neide Graça)

 

Sônia Junqueira

Poesia na varanda (Sônia Junqueira) Ilustr. Flávio Fargas. Ed.Autêntica. "Por onde a poesia pode passar? Por muitos lugares. E é sempre uma felicidade. A felicidade, que segundo Guimarães Rosa 'se acha é em horinhas de descuido'. "(Neide Graça)

 

Sônia Rosa

O mar de Ângela (Sonia Rosa) Ilustr Fê. Ed. Difusão Cultural do Livro. "Um olhar pode guardar a profundeza do nosso mar interior, onde guardamos emoções, segredos e revelações. A beleza do tema contido na história é ricamente ilustrada com os símbolos, seres marinhos e riquezas do mar que nos cerca." (Mercedes Fernandes)

 

Stephen Michael King

O homem que amava caixas – Texto e ilustrações de Stephen Michael King, ed Brinque book. “Relações humanas são muitas vezes complexas no entendimento e manifestação. Essa história conjuga ilustração e texto de um mesmo autor que nos conta a história de um relacionamento especial entre pai e filho através de confecção de caixas. Pequenas e enormes caixas, de todas as cores e dimensões são a linguagem perfeita para pai e filhos se relacionarem livremente buscando uma forma particular de compartilhar segredos, aventuras e afeto.” (Mercedes Fernandes)

 

Patrícia. Texto e ilustração Stephen Michael King. Ed. Brinque-Books. Patrícia pode ser qualquer um de nós, criança ou adulto. Ela quer apenas alguém para repartir seus pensamentos. Muito de nós, para ser ouvido, precisou apelar e “gritar” muito para que isso acontecesse. As pessoas, em geral, estão sempre cheia de compromissos, mas nossos pensamentos o que quer é alguém para compartilhar. Sorte de Patrícia que pode contar com seu avô... (Neide Graça) 

 

Suzy Lee

Onda - ilustrado por Suzy Lee. Ed. Cosac Naify. "Um livro diferente que traz ao público leitor uma narrativa imagética impactante realizada pela ilustradora Suzy Lee, sobre um encontro de uma garotinha com o mar e seus encantos naturais. As imagens descrevem cenas de uma história em cenas detalhadas da menina alegre e curiosa sem precisar de um texto escrito. Uma história que dá margem a crianças de todas as idades a entender e interpretar através das imagens mostradas, a sua própria história."  (Mercedes Fernandes) 

 

Sylvia Orthof

 

Gato pra cá, Rato pra lá, texto de Sylvia Orthof, ilustrações de Graça Lima, ed. Rovelle. Uma pequena grande história que começa com a conhecida rivalidade entre um gato e um rato, e aos poucos vai revelando um texto com uma inspiração poética contendo uma grande carga de lirismo e afeto. A “lua gata prateada” desce a terra e inspira ao gato um sentimento nobre e misterioso. O instinto selvagem dá lugar ao afeto poético e a magia acontece: longe da ameaça do gato apaixonado pela lua, o rato triste se liberta de seu medo e voa para o mundo virando um morcego na calada noite. (Mercedes Fernandes)  Video-homenagem à Sylvia Orthof: https://youtu.be/8CGekH7SsGY

 

Mula sem cabeça e outras histórias. Texto de Sylvia Orthof. Ilustrações de Anna Terra. Ed. Rovelle. Estórias de arrepiar... As lendas inventadas pelo homem com elementos não tão verdadeiros são a base desse livro da Sylvia Orthof. A história da mula sem cabeça dá o tom e fala de uma mulher que mora nas proximidades de uma igreja e se apaixona pelo padre sendo castigada, por isso, com um corpo de mula e cabeça de fogo. Um livro repleto de histórias do folclore, tradições, mitos e lendas. (Neide Graça)

 

O baile do fim do mundo e outras histórias. Texto de Sylvia Orthof Ilustrações de Marilia Pirillo. Ed Rovellle. Livro que reúne contos deliciosos sobre os sete pecados capitais, revisitados de forma irreverente e bem humorada pela autora. O primeiro fala de luxúria e dá nome ao livro. Alguns outros contos apresentam títulos de explícito bom humor e criatividade: O doce pecado (gula), Um tanto quanto... (orgulho), Nem toda ira é Justa (Ira), Unha de fome (avareza), Preguicite aguda (preguiça) e Seca pimenteira (inveja). (Neide Graça)

 

Se as coisas fossem mães (Sylvia Orthof) Ilustr Ana Raquel. Ed. Nova Fronteira. "A história gira em torno do sentimento mais profundo da grande mãe, bem entendido como o grande conceito de aconchego, da ordem e do sentido das coisas que ora acertam ora erram. Fala das coisas ligadas as nossas afetividades subjetivas e aquelas que povoam nosso imaginário desde a mais tenra infância. A criatividade e beleza das ilustrações nos capturam de forma onírica para dentro da poesia que emerge da narrativa e nos envolve na história" (Mercedes Fernandes)

 

Vovó viaja e não sai de casa? Texto de Sylvia Orthof, ilustrações de Bebel Callage, ed. Rovelle. É possível viajar sem sair do lugar? Sim, na deliciosa fábula poética escrita por Sylvia Orthof, uma engraçada Vovó viaja pelo mundo todo usando a criatividade e a imaginação.  Com ilustrações inspiradas o texto da autora é um desafio a nós leitores para embarcarmos juntos na aventura turística de nossa carismática personagem. (Mercedes Fernandes)

 

Tatiana Belinky

Lembranças de menina: momentos marcantes (Tatiana Belinky) Ilustr Ana Maria Moura. Ed. Paulinas. Momentos Marcantes” é um belo livro álbum produzido em homenagem a escritora Tatiana Belinky.  Nele contém relatos de memória rica e significativa da autora, que muito contribuiu e incentivou a literatura infanto juvenil no Brasil. O livro nos presenteia com relatos sensíveis das lembranças de infância, da juventude, da maturidade da autora, todas vividas de forma marcante em território nacional sendo ela uma imigrante de nacionalidade russa que aqui aportou na tenra infância. A autora se utiliza de um texto simples e direto e nos emociona ao relatar passagens importantes e diversas de sua vida, passando pela memória de pai, mãe, mestres, amigos, filhos e irmãos entre outros personagens. A produção visual do livro é ricamente explorada por lindas ilustrações e reproduções de textos originais como fotos, manuscritos, álbuns, diários pessoais da própria autora e postais que são lindamente aplicados à concepção visual enriquecendo a composição do livro. Uma linda homenagem que autora recebeu ainda em vida e nos permitiu a compartilhar com seus leitores mais diletos.” (Mercedes Fernandes)

 

Tatiana Blass

A Família Mobília - texto e ilust. de Tatiana Blass, ed. CosacNaify. "Uma história contada de forma bem humorada com interessantes  ilustrações sobre uma família especial constituída de mobílias, onde móveis, mesas e abajures expressam sentimentos humanos como qualquer outra família: solidão, ternura, ciúmes, etc. Relações tão comuns em qualquer família humana, nesta história a fantasia extrapola a realidade e nos captura de forma envolvente para dentro da narrativa." (Mercedes Fernandes) 

 
 

Tatiana Podlubny

Azulzim - escrito e ilustrado por Luiza Leite e Tatiana Podlubny, ed 7 Letras.   “É interessante mostrar o texto das autoras, pois nele está uma ótima apresentação para uma ideia original de uma história. As autoras trabalham com um conceito de livro imagem com pequenas frases poéticas. Azulzim é uma experiência sensorial de graça e sensibilidade para público de todas as idades.” (Mercedes Fernandes)

 
 

Tor Freeman

Olivia e o grande segredo (Tor Freeman) Ed. Brinque-Book. Segredo é tema de interesse geral. Mudam os persoagens mas o ingrediente é sempre o mesmo: a curiosidade. Os animais, convenientemente, tem nomes humanos e isso traz grande veracidade e identifcação com as situação apresentada. As ilustrações são inspiradas e a finalização da história supreendente.  (Neide Graça

 

 

William Joyce

Os fantásticos livros voadores (William Joyce) Ilustr. William Joyce & Joe Bluhm. Ed. Rocco. "O livro expressa em papel o que o vídeo exibe sobre a mesma história, que foi premiada em festivais. Ele mostra em imagens: o eterno encanto pelos livros e pela leitura. Ainda que se alterem os suportes de leitura, as publicações impressas sempre terão seu lugar entre nós. O legado de um livro impresso jamais poderá ser esquecido. Bibliotecas e estantes cheias de livros sempre serão reverenciadas pelo prazer da leitura e a necessidade de se preservar a memória de nossas histórias pessoais e universais." (Mercedes Fernandes)

 

 

Ziraldo

Flicts – escrito e ilustrado por Ziraldo, ed, Melhoramentos. Este livro muito interessante e colorido conta a história de Flicts, uma cor rejeitada por todas as outras cores que existiam no Planeta. Ela tentava, mas não conseguia se encaixar entre as cores primárias, do arco íris, cores fortes e pálidas. Ficou tão infeliz ao tentar a duras penas se ajustar e tentar encontrar seu lugar junto às outras cores, que resolveu sumir desse mundo e alçar novos voos. E foi justamente lá fora da Terra que finalmente encontrou o seu lugar na imensidão do universo, mas não muito longe de seu planeta querido. Lá um sentido guardava o segredo de sua existência, sua iluminação própria que refletia sua cor na Terra através da Lua, um segredo que os astronautas sabiam, pois alcançaram Flicts. “A Lua é Flicts (Neil Armstrong, astronauta da Apolo 11). (Mercedes Fernandes)

 

 



Leia mais: http://livros-para-todas-as-idades3.webnode.com/products/nossos-comentarios-/
Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br